17/02/17 por Daniela Diniz

Ser uma boa empresa para trabalhar vai muito além de oferecer coisas. As melhores empresas conseguem se conectar com seus funcionários por meio de algo genuíno: a confiança. Ao estabelecer um determinado nível de confiança (não à toa o índice que mede a satisfação do funcionário com a empresa na nossa pesquisa se chama Trust Index – índice de confiança no inglês), a companhia consegue extrair o melhor do seu colaborador e, este por sua vez, consegue se sentir livre para criar, produzir, inovar. Desse nível de confiança, surgem as práticas e os benefícios que causam inveja e arrancam suspiros de muitos outros profissionais que não fazem parte (ainda) de uma boa empresa para trabalhar. Abaixo, listamos alguns deles que certamente foram implantados depois de muito ouvir o time e, claro, fazer sentido para cada empresa. Portanto, eles valem como inspiração – não como imitação!

 

  • Licença-maternidade estendida: entre as 150 Melhores Empresas, 15% já oferecem licença-maternidade de seis meses para suas profissionais. Os papais – 15% deles – também já estão ganhando dias além do mínimo estabelecido pela lei para ficar com seus rebentos.
  • Bolsa de estudo (graduação, pós, idioma): As melhores investem em educação e treinamento. E quando se trata de ter um reserva para bancar o estudo dos funcionários elas também estão à frente. 57% delas oferecem bolsa de pelo 50% de subsídio para cursos de idiomas, 42% pagam pelo menos 50% dos estudos para o ensino técnico, e esse apoio é garantido para cursos de graduação em mais de 60% das empresas premiadas.
  • Horário Flexível e Home Office – uma tendência que vem se alastrando nas melhores empresas e que tem tudo a ver com o conceito de confiança. Se eu confio no meu funcionário, eu não preciso vigiar seu trabalho ou impor determinadas regras que soam um tanto quanto obsoletas em um mundo cada vez menos hierárquico e mais flexível. Das 150 melhores, 16% já oferecem a prática de home office para pelo menos 50% de seus colaboradores e 47% trabalham com horário flexível para 75% ou mais dos funcionários.
  • Sextas-feiras curtas: uma prática mais comum às farmacêuticas, especialmente entre as melhores para trabalhar, os funcionários podem encerrar o expediente no horário do almoço ou lá pelas 15h.
  • Comidinhas: Frutas, guloseimas e bebidas à vontade. Reforçar a alimentação dos seus funcionários faz parte do universo de uma boa empresa para trabalhar. É uma política que não pesa tanto no bolso da companhia e faz a alegria do time.
  • Academia, ioga, massagem: se existe algo em comum entre as melhores empresas é o conceito de que qualidade de vida é uma coisa só. Não existe mais aquela frase dos almanaques de recursos humanos de que temos de separar a vida profissional e a vida pessoal. Sim, a vida é uma só e a tecnologia apenas permitiu que isso se unisse totalmente: 24 por dia, sete dias por semana. Portanto, nada mais inteligente do que promover a saúde e o bem-estar no ambiente de trabalho: segundo a lista de 2016, 79% das empresas premiadas têm práticas de atividade coletiva (ginástica laboral, corrida, futebol etc.) e 28% oferecem academia de ginástica interna.
  • Espaços atraentes – é cada vez maior o número de empresas entre as melhores que vem investindo em bonitos, eficientes e aconchegantes ambientes físicos. Seguindo o mesmo conceito de que a vida é uma só e que passamos 1/3 dela no ambiente de trabalho, é saudável (e produtivo) ter um lugar bacana para acolher seus funcionários. Estudos iniciais sobre o assunto têm revelado que existe uma correlação positiva entre um novo ambiente físico de trabalho e maior satisfação dos funcionários. Isso não significa que você vai jogar pufes coloridos no chão ou comprar uma mesa de ping pong para se passar por divertido e legal se isso não tem absolutamente nada a ver com sua cultura. Cuidado com os modismos! Vale identificar muito bem seus valores e tentar traduzir isso para o ambiente físico: pode ser uma cozinha integrada, uma biblioteca, lousas divertidas, tudo que possa integrar e tornar o espaço acolhedor.
  • Vale-tudo: vale-transporte, vale-farmácia, vale-academia, vale-óculos, vale-cultura. As melhores são campeãs em fazer parcerias com instituições para oferecer opções com descontos para seus funcionários. E eles dão uma super ajuda no bolso de quem quer estudar ou investir na saúde.
  • Day-off: uma prática mais antiga, mas que ainda enche os olhos de muitos profissionais é tirar um dia de folga no mês do aniversário. Algumas atrelam isso ao próprio dia mesmo, mas dentro do conceito de flexibilidade, vale estender o benefício para o mês do aniversariante.
  • Apoio jurídico, psicológico e financeiro: pode parecer uma prática menos charmosa, mas ela já salvou muitos profissionais em apuros. As melhores sabem que um funcionário não está inteiro se ele estiver sofrendo com problemas extra-trabalho e oferecem cada vez mais um apoio estruturado para as necessidades pessoais do seu time.

Conteúdos relacionados

> Por que fazer uma pesquisa de clima?

> Capacitação GPTW - Treinamento e desenvolvimento para líderes e liderados

 

CALL-TO-ACTION-2017.gif