30/11/17 por Lina Nakata

É bastante comum ouvirmos falar que as empresas evitam aplicar pesquisas de clima organizacional quando o momento não é favorável, ou seja, em situações de crise. O Brasil passa por um período crítico da economia, com decréscimo do PIB nos dois últimos anos, de -3,8% (2015) e -3,6% (2016), apresentando altos índices de desemprego. Com isso, várias organizações entendem que a instabilidade pode afetar o ambiente de trabalho e deixam de fazer o diagnóstico interno.

Sim, é claro que as condições externas – negativas! – influenciam o ambiente organizacional. E é justamente por esse motivo que as pessoas devem ser realmente ouvidas. Elas têm muito a dizer, pois observam o dia a dia, vivenciam diversas experiências e sentem na pele o que está acontecendo na organização. Assim, entendemos que os funcionários são aqueles que podem efetivamente perceber os pontos de melhoria e propor novas soluções para o negócio.

Porém, às vezes observamos o efeito oposto, pois as empresas não querem lidar com notícias ruins, os RHs não querem ouvir reclamações, nem mesmo lidar com mais problemas além daqueles que já estão enfrentando. A grande questão é que, quanto mais tempo deixarmos de estar abertos às pessoas, mais elas acumularão queixas e insatisfações, que em um momento podem ser o bastante para gerar transtornos (quase) sem soluções.

Cuidar das pessoas, principalmente em momentos de crise, é essencial. E será que elas percebem que as organizações têm feito algo nesse sentido? Na Venezuela, por exemplo, as áreas de RH se tornaram grandes centros de assistência social, já que o governo não tem conseguido suprir as necessidades básicas da população, e as organizações têm auxiliado os funcionários com benefícios básicos e empréstimos.

As pessoas compreendem, sim, o papel das organizações, reconhecendo e valorizando o seu ambiente de trabalho. Como? Ao fazer uma análise com médias de indicadores de Trust Index (Brasil) e crescimento do PIB brasileiro, temos o seguinte gráfico:

 

Pib vs TI.png

É possível identificar uma correlação negativa: quando a economia está mais aquecida, o Trust Index costuma ser mais baixo, e quanto pior o quadro econômico, melhor a satisfação dos funcionários com a sua organização. Isso mostra que os funcionários costumam ter ainda mais confiança no trabalho em momentos de crise. E as organizações precisam manter os diagnósticos com regularidade, pois é dessa forma que conseguirão oferecer um ambiente de trabalho de melhor qualidade aos funcionários.
 

Conteúdos relacionados:

CTA-Certifica__o-2017.png