Por: Alexandre Caldini

autor do livro "Networking versus Notworking"

Por: Alexandre Caldini

autor do livro "Networking versus Notworking"

5 março, 2020 • 2:43

O brilhante palestrante Max Gehringer tem uma bela frase que define bem um dos erros mais comuns que cometemos quando o assunto é Networking. Diz Max que: “Networking é uma questão de paciência e não de urgência”. Muitos de nós fazemos essa confusão e, por isso, cometemos um erro fatal: procuramos nossos contatos apenas quando precisamos deles. Tarde demais. Isso não é Networking. É NOTworking! Não funciona.

Mas e você, como vive seus relacionamentos no dia a dia? Ocupa-se deles? Mantem aquecidas e ativas as suas relações com amigos, colegas de trabalho, colegas de escola, ex-colegas, fornecedores, clientes, concorrentes, professores, alunos, ex-chefes, enfim, todos? Ou você é daqueles que só se lembra das pessoas quando está em apuros e precisa do apoio delas?

Alguns dirão não fazer Networking por não ter tempo para isso. Esses ainda não compreenderam haver dois erros na frase: fazer e tempo. Networking não se faz, se vive. Networking é um modo de vida. É viver em agradável relacionamento com todos os que estão à nossa volta. Networking não é uma tarefa. Não é uma obrigação que você executa e pronto, está feito. Networking é um processo contínuo, sem fim, de construir e dar manutenção a relacionamentos com pessoas que prezamos. E acredite, isso é algo honrado e muito gratificante.

E, justamente por não ser uma tarefa na sua lista de afazeres, Networking não exige tempo específico para sua execução. Networking, por ser relacionamento, é algo que acontece a todo momento, em todo lugar e com todas as pessoas. É 24×7. É uma prática agradável, natural e cotidiana como observar, interagir, aprender, ensinar e divertir-se. Aliás, o que é um relacionamento senão isso: observar, interagir, aprender, ensinar e divertir-se? Se você acha que seu Networking anda meio devagar, talvez valha você reconsiderar o que entende por Networking. Talvez você esteja usufruindo menos e oferecendo menos aos seus relacionamentos do que poderia. Talvez não esteja vivendo, mas fazendo Networking.

Não espere precisar do outro para procurá-lo. Esse comportamento, mesquinho e interesseiro, pega muito mal. Você ficará constrangido em procurar pessoas para quem não deu a menor atenção por longo tempo, e essas pessoas se sentirão usadas por você. Péssimo para sua reputação! E não funciona. Isso não é Networking, é Notworking.

Que tal procurar o outro antes que precise dele? Melhor que isso: que tal procurar o outro para verificar se ele precisa de algo que você, como amigo e como ser humano, pode oferecer? Que tal, com sinceridade, genuíno interesse e satisfação, retomar já, hoje, agora, as relações com tanta gente bacana que você conheceu e que ficou pelo caminho? Marque um almoço, um café da manhã antes do expediente, ou mande um simples “Estou com saudades e querendo saber de você!”. E depois dessa retomada inicial, não deixe mais a coisa esfriar.

O carinho que você enviou, o receberá de volta. A esse carinho, que fez bem para o outro e que fará bem à você também, pode chamá-lo de Networking.

CTA Livro Networking versus Notworking-01

Confira outros artigos sobre Networking:

Deixe seu Comentário

1 comentário

  • Postado por: Jaqueline bilo dos Santos •

    Networking é necessário no nosso dia-a-dia, principalmente em nosso meio de trabalho

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se