Por: Lygia Haydée

redatora do GPTW

Por: Lygia Haydée

redatora do GPTW

24 março, 2020 • 2:53

O mês de março está sendo diferente para diversas empresas e colaboradores que têm vivido em esquema de trabalho home office em decorrência da pandemia do novo coronavírus. De acordo com orientação do Ministério da Saúde, sempre que possível, é indicado que seja adotado o trabalho remoto dos profissionais como primeira opção para tentar conter a disseminação da Covid-19.

No entanto, essa é uma forma de trabalho que já existe há tempos. Entre as 150 Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil, considerando a edição do ranking do GPTW de 2019, 65% apostam na prática de home office de forma total ou parcial. E, para este conjunto de empresas, na média 52% dos funcionários têm a opção de trabalhar de forma remota. Aliás, os setores que tratam o assunto com maior frequência são os de Serviços Financeiros e Seguros (51%), Farmacêutica (51%) e Tecnologia da Informação (40%).

Mesmo que ele esteja ganhando força nos últimos tempos, o trabalho remoto é uma nova situação para muitos colaboradores, que se viram diante do desafio de transformar um espaço da casa em escritório. Se essa é a sua realidade atual, a seguir você encontra dicas que podem ajudá-lo no home office, fazendo com que você trabalhe melhor e não perca a produtividade nem a concentração. Mas, antes de tudo, anote aí: mesmo que existam diversas recomendações de especialistas com as melhores formas de se trabalhar em casa, cada um tem um estilo e ritmo de trabalho e, portanto, é preciso conhecer o que mais se encaixa com o seu perfil e avaliar o que pode funcionar ou não para você.

1. Mantenha a rotina

Para que você mantenha a produtividade, é importante definir uma programação. Para tanto, você pode começar o dia como faria no escritório: levante-se no horário que costuma acordar, vista-se e tente evitar distrações online ao se sentar para trabalhar. Isso ajuda o cérebro a entender que é hora de trabalho e não de relaxamento, além de evitar surpresas, caso você precise fazer uma chamada de vídeo de repente.

“Outra boa estratégia é manter os hábitos que você tem na empresa. Por exemplo, se você chega às nove horas, toma um café e conversa com um amigo, continue fazendo a mesma coisa, só que a distância”, sugere Lina Eiko Nakata, cientista de dados da GPTW e professora da FIA Business School. Além disso, defina expectativas realistas para as tarefas diárias, considerando que todos estão se dividindo entre as tarefas domésticas e profissionais.

Para manter o foco, uma boa dica é utilizar aplicativos que bloqueiam o uso dessas redes sociais por um tempo determinado. Um deles é o Offtime, feito exatamente para evitar distrações, já que bloqueia as atividades do celular dentro de um período estabelecido pelo usuário. Esse app está disponível para Android e iPhone (iOS).

Outra opção é o AppDetox, aplicativo disponível para Android que mapeia os serviços usados exageradamente por cada usuário e que permite escolher o tempo desejado para bloqueá-los diariamente. Nessa mesma linha, ainda tem o Moment, que é compatível para iOS e Android. Depois de um período rodando no seu celular, ele traça a sua rotina de uso e calcula quanto tempo você gasta em cada aplicativo, organizando as informações em gráficos.

Ainda existe o AppBlock, um aplicativo para Android que bloqueia notificações e a abertura de apps no celular. Funciona assim: ele usa um sistema de perfis para impedir que WhatsApp, Facebook ou qualquer outro app instalado sejam usados em horários e dias determinados por você.

2. Trabalhe em um local apropriado

A vontade de sentar no sofá com o notebook no colo certamente virá em algum momento, mas é importante que você seja mais forte. Aposte em um ambiente apropriado, com mesa e cadeira em alturas confortáveis. E tente ficar em um cômodo propício para isso, sem entra e sai de terceiros. “Aqui vale a mesma regra para o que a gente fala nas organizações: se o ambiente não é organizado, você não consegue trabalhar de forma organizada. Então é importante sempre ter a mesa limpa, em ordem e com apenas o que é necessário”, sugere Nakata.

Cheque, também, a qualidade da internet com antecedência e comunique seu gestor, imediatamente, caso haja algum problema de rede. “O mais importante é que você tenha boas condições de trabalho, além de condições psicossociais e de infraestrutura. É importante ter uma boa máquina, ferramentas de comunicação – que pode ser celular ou o próprio computador – e uma mesa que seja confortável para que você consiga fazer bem o seu trabalho.” E, quando falamos de condições psicossociais, nos referimos à saúde mental da pessoa, algo muto importante para o bom trabalho e que será tema de um artigo do GPTW esta semana.

3. Defina alguns limites

Não tem como negar: quando você trabalha em casa, é fácil deixar a vida profissional se misturar à vida doméstica. Isso, por si só, não seria um problema, uma vez que não é possível desassociar completamente uma coisa da outra. Ainda assim, é importante manter o mínimo de organização para que você não se perca em meio aos múltiplos papeis desempenhados. E para isso você pode usar como método desenhar quais são as metas e os objetivos a serem cumpridos, entendendo o que precisa ser feito, o que deve ser respondido, quais são as tarefas e as atividades daquele dia.

Com as aulas suspensas dos filhos por conta do coronavírus, isso fica ainda mais latente, já que também é uma novidade para a criança ficar em casa durante a semana. Por isso, converse com ela sobre a importância do que está fazendo e a necessidade de não ser interrompido por qualquer coisa. E, se a idade da criança demandar supervisão constante, faça escalas com quem mais morar na casa ou quem puder ajudar na tarefa para manter o foco no trabalho.

4. Fique de olho no tempo e faça pausas regulares

É comum as pessoas que trabalham em casa acabarem se perdendo nos horários e trabalharem muito mais do que o previsto. Para que isso não aconteça e culmine em situações de estresse e até burnout, ative despertadores com horários de início e término da jornada, além de parar vez ou outra para relaxar. Pausas são muito importantes para renovar a energia e, assim, manter a produtividade.

De acordo com dados da Business News Daily, os profissionais que atuam remotamente costumam trabalhar 1,4 dias a mais por mês do que seus colegas que estão no escritório. Esse período extra somado resulta em mais de três semanas adicionais de trabalho por ano.

5. Faça horário de almoço

Assim como é importante fazer pausas durante a jornada de trabalho, também é essencial que você reserve um tempo para comer no horário habitual. Manter bons hábitos alimentares – em vez de apostar todos os dias em fast food ou alimentos ultraprocessados – é fundamental para cuidar da saúde neste momento.

Da mesma forma que você deve manter a rotina diária, é importante que você mantenha também o horário das refeições parecidos ao que faz no escritório. E tome mais um cuidado: não fique em frente ao notebook enquanto come, seu cérebro precisa descansar.

Quer mais? Antes de começar a trabalhar, deixe uma garrafa de água ao seu alcance e encha quando achar necessário

6. Mantenha-se conectado

O isolamento prolongado pode levar a uma queda da produtividade e motivação. Por isso, é necessário fazer um esforço extra para permanecer conectado com os colegas de trabalho. Agende bate-papos regulares com colegas e clientes virtualmente para arejar as ideias, assim como compartilhe algumas das tarefas que você realizou naquele dia, facilitando o trabalho em equipe. A prática permite que todos estejam alinhados e saibam o que cada um está desenvolvendo.

7. Trabalhe feliz

Ok, trabalhar em casa pode exigir toda essa etiqueta para melhorar a produtividade. Mas se você se dá bem trabalhando de pijama ou com o computador no colo, por exemplo, não deixe as suas singularidades de lado para tentar se encaixar perfeitamente em “fórmulas de sucesso”. O mais importante aqui é que você cumpra com as suas obrigações dentro dos padrões que lhe são exigidos, respeitando também sua personalidade e estilo de vida.

“É bem importante que o colaborador trabalhe de uma forma confortável, da forma que ele se sente bem e produtivo. Então, por mais que a gente saiba que tem um monte de recomendações gerais que estimulam manter uma rotina, trocar de roupa, ir para uma mesa, cumprir os horários etc, tem gente que vai ter hábitos diferentes”, explica Lina Nakata. Isso significa, por exemplo que alguns profissionais vão preferir trabalhar de noite porque, bem, se sentem mais produtivos nesse período. “Eu mesma me incluo nisso. Quando chega lá pelas oito ou nove horas da noite, eu me sinto superprodutiva. Minha cabeça funciona superbem e eu não gosto de desperdiçar esse tempo”, conta.

Se esse também for o seu caso, faça a compensação do horário em outros momentos para não trabalhar muito mais do que o previsto e acabar prejudicando sua saúde mental. Equilíbrio é sempre recomendado!

+ Baixe o kit de planejamento de metas para ajudar na organização dos seus afazeres!

Deixe seu Comentário

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se