Por: Michael. C. Bush

CEO of Great Place to Work

Por: Michael. C. Bush

CEO of Great Place to Work

11 junho, 2020 • 5:24

“Quando uma pessoa diz, ‘Eu amo meu filho’, nós não dizemos ‘mas e sua filha?’ Quando uma pessoa diz ‘Black lives matter (vidas negras importam), nós não deveríamos dizer, ‘Todas as vidas importam’, para justificar ignorar o que a frase quer realmente dizer.”

 – Randall Stevenson, CEO da AT&T, 30 de Setembro de 2016

 

Aqueles que me conhecem pessoalmente sabem que eu sou um eterno otimista. Eu posso me fazer acreditar em qualquer coisa que eu precise acreditar. Hoje, eu preciso acreditar que nós estamos no caminho para encontrar a cura do vírus que tomou mais vidas que todos os vírus combinados: o Racismo-20.

Nada foi capaz de pará-lo. Esse vírus mata jovens e velhos. Não é limitado por geografia ou condição socioeconômica. Não importa se você usa uma máscara, se cumpre o isolamento social, se lava as suas mãos com água e sabão por vinte segundos, ou se usa álcool em gel. Você pode seguir qualquer regra, escrita ou não, e o vírus vai te matar de qualquer forma.

Por quê? Porque você é negro.

Se você não é negro, na verdade, esse vírus do racismo também te mata. Você pode não ter hipertensão, doenças pulmonares ou diabetes, mas você certamente irá sofrer de culpa, raiva, depressão e ansiedade. Provavelmente, você viverá mais que Trayvon Martin (17 anos) ou George Floyd (46) e conviverá menos com a violência e a dor física. Contudo, no fim das contas, desumanização mata a todos nós. Você sente impotência, revolta, confusão, frustração, medo; menos humano e menos conectado com uma grande parte da população.

Na manhã do dia 26 de maio, após algumas videoconferências, eu fui fazer mais café e meu filho (em quarentena conosco) estava fazendo a mesma coisa. Perguntei como ele estava, no que ele me respondeu: “estava ótimo até ler as notícias”. Até então, eu não sabia do ocorrido.

Entre uma conferência e outra, fui olhar rapidamente as notícias e vi, estava lá o assassinato de George Floyd por policiais em Mineápolis, cidade do estado norte-americano do Minnesota. Aquele momento me partiu ao meio. Eu estava em reunião, mas, ao mesmo tempo, não estava. Quando eu olhava para as pessoas na tela falando, o mundo todo estava mudo para mim. Não conseguia ouvir nada.

Eu imediatamente fui “lançado” tanto para o futuro, pensando nas mentiras que seriam contadas e na revolta que sentiria, porque as pessoas vão dizer que “ele mereceu”; quanto para o passado, recordando o vídeo de Rodney King sendo espancado com cassetetes, sendo chutado e levando socos de policiais. Esse episódio aconteceu um mês depois que meu filho, agora com 29 anos, nasceu.

E então, como muitos na comunidade negra, eu tive que seguir meu dia. Nós todos temos nossas maneiras de nos recuperarmos após um trauma, para que possamos continuar a fazer aquilo que estamos motivados a fazer. Pessoas negras tiveram que carregar o peso real de suas dores e traumas consigo para o trabalho e reprimir esses sentimentos para encontrar uma maneira de ser profissional e conseguir trabalhar.

Mas, dessa vez, foi diferente. Eu conseguia ver o espírito de “já basta” e “nós temos que fazer alguma coisa” crescendo na comunidade e em líderes ao meu redor. Eu me senti encorajado ao ver tantos líderes motivados por propósitos, entrando em contato comigo para descobrir o que estávamos fazendo no Great Place to Work e o que eles poderiam fazer para empregar seus negócios e influência como uma força para o bem.

Aqui, estão as sugestões que compartilhei para o caminho à frente:

Iniciar a conversa

Colaboradores estão sofrendo, mesmo entre as Melhores Empresas para Trabalhar no mundo. O peso mental de tempos de crise, divisão, nacionalismo radical, Covid-19 e Racismo-20 é simplesmente demais para suportar.

Verifique como suas pessoas estão. Constantemente. Muitas delas ainda estão lamentando perdas pessoais resultantes da pandemia e agora estão lamentando a perda da humanidade. Assegure-se de que os seus colaboradores têm aquilo que precisam, incluindo lugares seguros para expressar o que estão sentindo e seu suporte para que cuidem de si, de suas famílias e de suas comunidades.

Como líderes, é hora de tomar precauções para criar um ambiente em que nossos funcionários e colegas negros não tenham mais que reprimir o trauma que vivem quase que diariamente e possam trazer o melhor de si para o trabalho. Ser um Great Place to Work FOR ALL inclui pessoas negras!

Ouça continuamente

Mantenha essa conversa sobre antirracismo acontecendo durante e depois das eleições nos Estados Unidos. Pessoas negras são democratas, republicanas, independentes e não-votantes, mas, para todos elas, o dia 3 de novembro de 2020 [data da eleição norte-americana deste ano] importa.

As coisas vão ficar mais acaloradas durante todo o período eleitoral e não tem como fugir disso. Coisas serão ditas pelos candidatos e essas falas naturalmente impactam o humor das pessoas na sua organização. Se você não enxergar uma conexão entre a eleição e a comunidade negra, então, entre em contato comigo. A verdade é que não dá para falar sobre uma coisa sem falar sobre a outra.

Para aquelas empresas que costumam promover um encontro (agora, virtual) no ano para ouvir os colaboradores, escutar suas ideias, sugiro que mude para encontros, no plural. Promover eventos corporativos para exercitar a compreensão e inclusão não é coisa de uma edição só, é uma maratona, meu amigo. Você irá precisar de sessões para ouvir e aprender, quinzenalmente, ou pelo menos mensalmente, de agora até o dia da eleição (e além).

Todas as pessoas, não apenas pessoas negras, irão precisar dessas sessões. Essa é uma parte da nossa estratégia de escuta no Great Place to Work e se você quiser saber mais sobre como ter essas conversas, leia este guia.

Verifique sua motivação

Não faça aquilo de pedir para a única pessoa negra na sala de reunião compartilhar sua experiência e sua história “comovente”. Isso pode fazer com que você se sinta bem em relação a você mesmo (redes sociais estão cheias desses “feel-good moments”), mas a verdade é que raramente CEOs, COOs ou CMOs negros, ou seja, pessoas cuja fala está em posição de destaque, fazem discursos assim, sobre a sua experiência e história “comovente”.

Tais discursos costumam vir de jovens colaboradores ou gerentes de linha de frente que são chamados para falar sobre racismo. E, geralmente, eles depois se arrependem de sua sinceridade, aprendendo que esses se tornam momentos prejudiciais a suas carreiras.

Em vez de promover “momentos tocantes” na sua empresa, priorize contratar, desenvolver e promover colaboradores negros para o topo da organização e além. Esses são os “momentos de microfone” que a comunidade negra merece, que ela conquistou e que ela realmente quer.

Um raio de esperança

Talvez o lado bom disso tudo é que muitas pessoas percebem um novo tipo de cuidado e preocupação com as pessoas negras, muito mais que estas vivenciaram nos últimos anos.

Ficar isolado em casa não criou nenhum refúgio da realidade. Nós não podemos evitar nossas emoções correndo para aeroportos, hotéis e reunião após reunião. Nós não podemos escapar do impacto da situação atual em nossas famílias e comunidades. Eu fui dormir ao som de sirenes todo dia desde 26 de maio, quando foi noticiado o assassinato de George Floyd. Forçar o mundo a conviver com essa situação e encarar a realidade é uma coisa boa, embora a causa (a pandemia da Covid-19) seja terrível.

Essas circunstâncias nos levaram até o limite. Depois da morte de incontáveis pessoas negras desarmadas pelas mãos da polícia norte-americana, agora, após o assassinato de George Floyd, recebi mensagens e e-mails de pessoas brancas (que não trabalham para mim) para que eu soubesse que elas estavam pensando em mim naquele momento. É a primeira vez que isso me acontece. E quer saber? Eu irei aceitar esses pensamentos.

Algo novo está no ar com a Geração X e millenials. Eles não estão olhando para trás ou para a frente; eles estão observando o agora. Eles querem que essa loucura chegue ao fim e os manifestantes são diversos e inclusivos. Dê apoio, encorajamento e reconhecimento a eles.

Se pudermos ajudar você com qualquer uma dessas coisas, avise-nos.

Mando minhas orações e melhores desejos para todos aqueles afetados pela Covid-19 e pelo Racismo-20… Isso quer dizer que envio minhas orações e bons desejos FOR ALL!

Michael C. Bush
CEO of Great Place to Work®

*O artigo acima foi traduzido para o português. A versão em inglês pode ser lida aqui.

Deixe seu Comentário

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se