Por: Bruno Arins

Redator do GPTW

Por: Bruno Arins

Redator do GPTW

11 julho, 2019 • 11:59

Então é julho, e o que você fez? Consegue avaliar o desempenho da sua empresa nos seis meses iniciais do ano? Com o fim do semestre — ou para algumas empresas, do segundo quarter —, você tem a oportunidade de fazer um balanço das metas e garantir que os resultados sejam atingidos ao fim do ano. Veja como usar o OKR nessa tarefa!

O que é OKR?

OKR (Objectives and Key Results, ou Objetivos e Resultados-chave) é um modelo de gestão de desempenho ágil baseado em metas concretas e mensuráveis em ciclos curtos. Por sua linguagem simples, a metodologia funciona como uma ferramenta de comunicação interna ao alinhar, integrar e engajar diferentes equipes em torno de objetivos em comum relacionados à missão, aos valores e à estratégia corporativa da empresa.

Existem três níveis de aplicação dos OKRs:

  1. Organizacional: OKRs compartilhados por toda a empresa e que devem guiar, motivar e inspirar os colaboradores a alcançarem os resultados;
  2. Departamental: OKRs direcionados à atuação de cada time, por isso, os objetivos são específicos e alinhados ao propósito da empresa;
  3. Individual: OKRs focados na performance dos colaboradores.

Qual é o papel de cada componente do OKR?

Os componentes dos OKRs devem responder a duas questões básicas: 

  • o que queremos atingir (os objetivos); 
  • como faremos para atingi-los (os resultados-chave). 

Acompanhe alguns exemplos de aplicação dos OKRs nos diferentes níveis corporativos.

Exemplo de OKR em nível organizacional: empresa

Exemplo de OKR.empresa

Exemplo de OKR em nível departamental: comercial

Exemplo de OKR.comercial

Exemplo de OKR em nível individual: gestão de pessoas

Exemplo de OKR.gestão de pessoas

Perceba que, para cada objetivo (O), temos três resultados-chave (KRs). Note também que, como servem para mensurar o alcance dos objetivos — em outras palavras, para saber se estamos chegando lá —, os resultados-chave estão sempre ligados a uma métrica de avaliação. É esse critério que vai indicar o sucesso dos seus OKRs. Depois disso, é preciso definir as ações práticas para alcançar esses resultados-chave.

Como fazer um balanço das metas usando os OKRs?

Para João Marcos Filho, agile coach e consultor do Great Place to Work, a vantagem da abordagem OKR é que você não precisa esperar o fim do ano para analisar o desempenho do seu negócio. Isso porque os ciclos de mensuração acontecem a cada três meses. No caso da “entressafra” entre os meses de junho e julho, portanto, você estará avaliando os resultados do segundo trimestre do ano. Confira nossas dicas para fazer esse balanço!

1. Garanta que os OKRs sejam fragmentados em etapas

Na metodologia OKR, a pressa é mais que inimiga da perfeição. Por isso, os ciclos servem justamente para que as metas de todo o período — que normalmente corresponde a um ano — sejam esmiuçadas e distribuídas em quatro trimestres. 

Esse processo também contribui para garantir que os objetivos e resultados-chave estejam claros e alinhados entre todos os envolvidos. Ou seja, ao invés de estabelecer objetivos grandiosas e distantes, você define metas possíveis e imediatas.

2. Avalie o que pode ser mantido, aprimorado e descartado

Ao avaliar os seus OKRs, você pode aplicar uma técnica de retrospectiva e realinhamento que consiste em observar as ações que desempenharam bem, que não desempenharam bem e que exigem melhorias. Para isso, use três parâmetros simples:

  • manter: ações que tiveram bons resultados e podem avançar para o próximo ciclo;
  • aprimorar: ações que tiveram resultados razoáveis e precisam ser melhorados;
  • descartar: ações que não apresentaram resultado algum e devem ser eliminadas.

A partir dessa técnica, você consegue filtrar o que é preciso para chegar ao fim do período com as metas minimamente atingidas.

3. Mude a estratégia a qualquer momento, caso necessário

Assim como você não precisa aguardar o fim do ano para entender se as metas performaram bem, com os OKRs você não necessariamente deve esperar o fim do trimestre para mudar a estratégia. Lembre-se, porém, de que mudar a estratégia requer, automaticamente, uma nova definição de objetivos e resultados-chave.

Para que o balanço das metas aconteça, o ideal é que você já as tenha traçado no início do seu ciclo. Se este não é o seu caso, não se preocupe. Com os OKRs, você pode estabelecer as metas a qualquer momento, mesmo depois que o ano já tiver começado. Se você chegou à metade do ano sem saber direito como vai o seu negócio, use nosso template de planejamento para ir em busca dos resultados do segundo semestre!

CTA-Planejamento-2019

Deixe seu Comentário

1 comentário

  • Postado por: Jonacir Dadalto •

    Temos utilizado esse modelo de gestão com nossa equipe comercial com resultados rápidos, práticos e de muito bom impacto financeiro. Como gestor tem me ajudado no estabelecimento de metas, monitoriamento e apoio aos Consultores de Vendas.

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se