Por: Carolina Pimentel

Diretora e Fundadora da Geração Social - empresa do Ecossistema GPTW

Por: Carolina Pimentel

Diretora e Fundadora da Geração Social - empresa do Ecossistema GPTW

8 abril, 2022 • 3:01

Nos últimos anos, as discussões sobre sustentabilidade ganharam muito mais espaço nas empresas. Igualdade de gênero, diversidade, liderança inclusiva e humanizada, saúde mental, entre outras, são algumas das temáticas que têm, sim, uma ligação direta com esse assunto. 

Sustentabilidade empresarial se refere à capacidade de as empresas se perpetuarem no tempo, com estratégias, ações e diretrizes para compreender e minimizar os impactos negativos e impulsionar os positivos gerados no meio ambiente, na sociedade e nas relações de governança corporativa.

Isso é bom para as pessoas e para o planeta, pois garante que as futuras gerações possam usufruir de todos esses recursos, o que também é bom para as empresas, pois garante que elas vão durar por muito mais tempo e com uma maior projeção de crescimento no longo prazo. Segundo o último censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2019), 60% das empresas no Brasil fecham em 5 anos, dado que alerta que a durabilidade das empresas no nosso país é preocupante.

As ações de sustentabilidade empresarial estão ligadas aos pilares da tríade ESG: Ambiental (Environmental), Social e Governança (Governance). Essa sigla foi usada pela primeira vez em uma publicação do Pacto Global em conjunto com o Banco Mundial chamado Who Cares Wins, em que refletiram sobre como os investidores poderiam incluir a sustentabilidade em suas decisões. E neste artigo vamos conversar sobre como o Pacto Global pode ser um ótimo aliado na busca pelas práticas ESG.

O que é o Pacto Global

O Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas) é a maior iniciativa de sustentabilidade do mundo. Seu objetivo está centralizado em engajar as empresas para que alinhem suas estratégias e operações em prol do desenvolvimento sustentável. Para isso, existem dez princípios relacionados a Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção, e as organizações que passam a fazer parte do Pacto Global comprometem-se a seguir esses princípios no dia a dia de suas atividades.

  1. Apoiar e respeitar a proteção de direitos humanos reconhecidos internacionalmente.
  2. Assegurar-se de sua não participação em violações destes direitos.
  3. Apoiar a liberdade de associação e o reconhecimento efetivo do direito à negociação coletiva.
  4. Eliminar todas as formas de trabalho forçado ou compulsório.
  5. Abolir de forma efetiva o trabalho infantil.
  6. Eliminar a discriminação no emprego.
  7. Apoiar uma abordagem preventiva aos desafios ambientais.
  8. Desenvolver iniciativas para promover maior responsabilidade ambiental.
  9. Incentivar o desenvolvimento e difusão de tecnologias ambientalmente amigáveis.
  10. Combater a corrupção em todas as suas formas, inclusive extorsão e propina

Essa iniciativa surgiu em um contexto em que a grande maioria das conferências globais que tinham a sustentabilidade como tema principal eram destinadas somente aos governos. 

Com isso, em 2000, Kofi Annan, ex secretário-geral da ONU, teve a ideia de envolver as empresas nesse propósito, considerando seus expressivos papéis no desenvolvimento da sociedade. Assim é criado o Pacto Global, uma iniciativa voluntária que fornece diretrizes para a promoção do crescimento sustentável e da cidadania, por meio de lideranças corporativas comprometidas e inovadoras.  Hoje,  a iniciativa conta com mais de 16 mil membros em 160 países.

A Rede Brasil do Pacto Global é a terceira maior rede do mundo, com mais de 1.300 participantes. Criada em 2003, a Rede Brasil responde à sede do Pacto Global, em Nova York, e preside o Conselho das Redes Locais na América Latina. Os projetos conduzidos no país são desenvolvidos por meio das Plataformas de Ação.

Pacto Global e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

No mesmo ano em que o Pacto Global surgiu, foram criados os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), que traziam 8 metas sustentáveis que deveriam ser realizadas até 2015. Nesta data, com o fim dos ODM, surgiram os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Essa nova agenda propõe 17 objetivos que devem ser alcançados até 2030.

O Pacto Global e os ODS têm uma relação direta, de modo que, enquanto os princípios do Pacto Global representam o que as empresas devem fazer, os ODS mostram como colocar esses princípios em prática. No infográfico abaixo, é possível visualizar como eles estão totalmente ligados.

Como os negócios se beneficiam com a iniciativa

Com a ascensão do ESG, o interesse por investidores no assunto cresceu muito.

Há um envolvimento cada vez maior das empresas brasileiras em torno da sustentabilidade e uma maturidade crescente em relação ao tema. Há pouco tempo, muitas achavam que bastava apoiar um projeto no entorno de suas unidades para cumprir o seu papel social. Evoluímos e muito, mas ainda temos um longo caminho a percorrer.

Hoje existe um entendimento sobre os desafios da humanidade e o papel das organizações neste contexto. Diversas companhias com atuação no Brasil possuem departamentos estruturados de sustentabilidade, os quais controlam os impactos ambientais da operação e a relação dos seus produtos e serviços com a sociedade e com o planeta.

A Rede Brasil do Pacto Global é uma plataforma que reúne o setor empresarial para atuar com impacto mensurável nos ODS, tanto na evolução dos modelos de negócios como na implementação de projetos em parceria.

Alavancar o potencial da comunidade empresarial como agente de transformação também é garantir a competitividade dos negócios na economia mundial e a inclusão de lideranças em fóruns decisórios globais de referência.

Ter práticas ligadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e ao Pacto Global já é uma iniciativa reconhecida por investidores, e o GRI (Global Report Initiative), que é um padrão internacional de relatórios de sustentabilidade, inclui em suas diretrizes o alinhamento das ações e estratégias da empresa com os ODS.

Para atingirmos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável até 2030, precisamos de uma atuação forte do setor empresarial.

Como se inscrever

Para se inscrever, a empresa deve preencher uma carta de compromisso que deve ser realizada no timbrado oficial da organização e assinada pelo principal executivo da empresa. Essa carta é endereçada ao escritório do Pacto Global em Nova Iorque, mas é anexada online, na plataforma da iniciativa. Confira o modelo de carta de compromisso.

Para fazer parte da iniciativa, a empresa deve pagar uma anuidade, que é estabelecida proporcionalmente ao seu faturamento. Os valores para cada tipo de empresa podem ser conferidos na página do Pacto Global. Organizações não empresariais não pagam para fazer parte da iniciativa. Passo a passo da inscrição

  1. Preencha a carta de compromisso no timbrado oficial da empresa;
  2. Repasse essa carta ao principal executivo da organização, para que saiba dos compromissos e assine;
  3. Realize o cadastro no site do Pacto Global Pacto Global e anexe a carta assinada.

Ao finalizar o registro, o Pacto Global tem até 3 meses para avaliar e aprovar a inscrição. A empresa participante se compromete a comunicar anualmente quais ações alinhadas aos ODS realizou naquele período. Esse relatório é chamado de COP (comunicação de progresso) e deve ser enviado na plataforma todos os anos. As organizações que não enviam o COP são deslistadas do Pacto Global, reforçando a necessidade de colocar as ações em prática.

Saiba mais aqui.

O Great Place to Work Brasil é uma empresa participante do Pacto Global e possui um projeto de voluntariado corporativo de impacto chamado Great Together. Confira nosso último COP, referente ao período de 01/01/2020 a 30/06/2021, e saiba mais sobre nossas práticas ESG.

Comece já a praticar sustentabilidade

Empresas que desejam dar os seus primeiros passos na sustentabilidade ou até mesmo serem reconhecidas por suas ações podem se beneficiar muito das diretrizes do Pacto Global e dos ODS, melhorando seu relacionamento e engajamento com stakeholders, tendo um diferencial competitivo muito relevante e ganhando atenção de investidores, além de ajudar a construir um mundo melhor.

A Geração Social, consultoria do Ecossistema GPTW focada em ESG e sustentabilidade, está à disposição para auxiliar sua empresa no processo de inscrição no Pacto Global e na implementação de práticas ODS na sua organização. Saiba mais sobre como podemos ajudar sua empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se