Por: Great Place To Work®

Por: Great Place To Work®

1 outubro, 2020 • 10:30

Este é o mês do laço cor de rosa nas roupas e em peças publicitárias. Um adorno que serve de lembrete de uma campanha muito importante, conhecida como Outubro Rosa.

Para quem não sabe, o Outubro Rosa é um período voltado para a conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Segundo especialistas, diagnosticar o câncer precocemente aumenta significantemente as chances de cura, 95% dos casos identificados em estágio inicial têm possibilidade de cura. Por isso, a mamografia é imprescindível, bem como mais campanhas de divulgação sobre o exame. Isso porque uma pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Mastologia em parceria com a Rede Brasileira de Pesquisa em Mastologia mostrou que o percentual de cobertura mamográfica de 2017 nas mulheres da faixa etária entre 50 e 69 anos, atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), é o menor dos últimos cinco anos. Naquele ano, eram esperadas 11,5 milhões de mamografias e foram realizadas apenas 2,7 milhões, uma cobertura de 24,1%, bem abaixo dos 70% recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A origem do Outubro Rosa

No Brasil, foi sancionada a Lei nº 13.733, em 16 de novembro de 2018, instituindo oficialmente uma série de atividades com tal finalidade. O começo de toda essa movimentação em prol da saúde, no entanto, se deu lá nos anos 90 em terreno norte-americano.

Foi em 1991 que o hoje famoso laço rosa se estabeleceu como símbolo oficial dessa causa. Na ocasião, a Fundação Susan G. Komen, uma das maiores organizações de câncer de mama no Estados Unidos, distribuiu um lacinho para cada participante da primeira Corrida pela Cura, evento realizado em Nova York para a conscientização acerca dessa doença.

Vale ressaltar que, na década de 90, vários estados norte-americanos já realizavam ações voltadas para a conscientização sobre o câncer de mama, contudo a campanha generalizada por todo país surgiu oficialmente em 1997, quando o Outubro Rosa foi instituído.

Como a sua empresa pode contribuir

Com a popularização dessa campanha, não só ações públicas, mas privadas começaram a ganhar força. Hoje, é comum que as organizações corporativas se engajem na causa e aproveitem o mês para criar uma programação voltada para ações de saúde.

Abaixo, algumas boas práticas de prevenção e conscientização de algumas das melhores empresas para trabalhar. Aproveite para se inspirar!

1. Disponibilização de exame

Como já explicamos, a detecção precoce do câncer de mama é fundamental para o tratamento da doença. Por isso, o Banco Bradesco isenta as funcionárias e os dependentes do sexo feminino da coparticipação na realização dos exames de mamografia e de colposcopia durante o período do Outubro Rosa. Palestras com médicos/as especialistas e conteúdo divulgados por e-mail ajudam a reforçar a mensagem sobre a importância da prevenção.

Para facilitar a vida de suas colaboradoras, a 3M disponibiliza durante três dias um veículo adaptado para realização de mamografia. A prioridade era para as mulheres acima de 40 anos, mas outras colaboradoras também podiam usufruir do benefício.

2. Ação personalizada

Todo ano, a varejista Magazine Luiza realiza diversas ações de conscientização. Além de toda programação do Outubro Rosa, em 2018, a empresa focou nas mulheres acima de 50 anos. Todas as colaboradoras com esse perfil foram contatadas por telefone e orientadas a fazer o exame. A mamografia, claro, foi custeada pela Magazine, inclusive para aquelas contratadas em regime que não contempla plano de saúde. De 188 mulheres contatadas, 117 fizeram o exame.

3. Inclusão de outros públicos

Na empresa de origem alemã Schmersal, todos os homens e mulheres são convidados para assistir à palestras com mastologistas para se informarem melhor sobre o tema, esclarecer possíveis dúvidas e incentivar sobre a importância dos exames preventivos e tratamento precoce. O reforço no convite feito para o público masculino é importante não só para que eles transmitam a mensagem para as mulheres no seu entorno (como mãe, irmã, esposa, filha etc), mas porque, embora raro, o câncer de mama também pode afetar os homens. Por isso, a organização acredita que as ações do Outubro Rosa devem alcançar todos!

Já a CI&T ampliou a conscientização para os vizinhos. Em 2019, a campanha envolveu as empresas do Pólis e CPQD (empresas que estão no mesmo condomínio da CI&T, em Campinas), com várias atividades para ressaltar a importância dos cuidados com a saúde, prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. Dois exemplos são a roda de conversa com a participação de profissionais que atuam na vida de pessoas vítimas do câncer de mama e a doação de cabelos para o CAISM (Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher da Unicamp).

4. Foco na sociedade

Para a farmacêutica Novartis, a responsabilidade de uma empresa não é apenas conscientizar os de dentro da organização, mas levar a informação para aqueles que estão fora. Por isso, em 2018, ela lançou a campanha “Mude o Tom dessa Luta”, alertando a população sobre novas opções de tratamento. Também foram realizadas ações em algumas clínicas e hospitais, com o intuito de proporcionar um dia diferente para os pacientes. Para isso, a farmacêutica disponibilizou camarins pelo período de oito horas para maquiar as pacientes que tivessem interesse.

Outra empresa que teve esse olhar para fora foi a Roche. Em 2019, na segunda edição da campanha Laços que Abraçam, a Roche em parceria com a revista Marie Claire convidou mulheres de diferentes idades e momentos de vida para um bate-papo sobre a importância do diagnóstico precoce, da rede de apoio e autoestima na luta contra o câncer de mama, reafirmando durante todo o mês a importância de transmitir uma mensagem concreta de conscientização e prevenção, e reforçar a importância do papel da família, amigos e sociedade ao longo do tratamento do câncer de mama. A iniciativa alcançou mais de 20 mil pessoas.

5. Doações de cabelo e adereços

Além de participarem das ações de conscientização sobre o câncer de mama, os colaboradores da Ânima Educação, grupo empresarial educacional, se engajaram na campanha de doações de cabelo para a confecção de perucas. Além das madeixas, a multinacional SAP Labs também coletou doações de lenços, entregues a uma entidade que oferece empréstimos gratuitos de perucas, lenços e chapéus para mulheres com câncer de mama.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se