Por: GPTW

Por: GPTW

23 dezembro, 2020 • 4:00

Quando o assunto é obter investimentos, convencer o CEO é um dos principais desafios dos profissionais de RH. Por isso, é importante contar com os dados concretos, para demonstrar a relação entre a gestão de pessoas e seus resultados. É o que fará a diferença para ganhar o apoio do líder máximo da organização.

O patrocínio dos CEOs é muito importante para a empresa investir em pessoas, mas nem sempre o convencimento é fácil. A priorização da gestão de pessoas como estratégia para conquistar vantagens competitivas depende da demonstração clara dos resultados. Logo, o RH deve estar munido de bons argumentos e embasado em dados para alcançar esse objetivo.

Na prática, o que o líder máximo da organização deseja é entender a relação de causa e efeito entre o aumento do orçamento e a melhoria dos indicadores organizacionais. Consequentemente, as informações apresentadas não podem ser mera opinião.

Neste conteúdo, auxiliaremos você, gestor de RH, a convencer a alta liderança da importância de investir em pessoas, fornecendo os elementos para uma argumentação mais embasada. Continue a leitura e dê o primeiro passo para uma gestão de pessoas mais eficiente!

A lógica de investir em certificações

Quando terminamos um curso de excelência, além de sermos gratos pelo aprendizado, buscamos um certificado de conclusão. Isto é, desejamos um documento que, com base na credibilidade da instituição, valide as novas competências, não é mesmo?

No caso das empresas, a certificação exerce uma função bastante parecida. O reconhecimento das práticas por entidades que dedicaram anos à pesquisa e ao acúmulo de experiências em uma área confere credibilidade às práticas adotadas pela organização.

Logo, assim como nosso currículo traz indícios do que podemos entregar, as certificações de uma empresa revelam quais resultados ela está mais próxima de obter. Resumidamente, o necessário para convencer o CEO a investir em pessoas. 

O Programa de Certificação do GPTW

Entre outros motivos, o programa do GPTW é famoso pelas listas de melhores lugares para se trabalhar. No entanto, ao lado dessa importante popularidade para construir uma imagem positiva junto ao mercado e aos talentos, existem diversas outras contribuições para as empresas.

O primeiro ponto é a pesquisa de clima online para entender a empresa a partir da perspectiva dos colaboradores. Com isso, você saberá qual é a distância entre o seu ambiente de trabalho e o ambiente das empresas que obtém os melhores resultados, ou seja, quão longe o negócio seu está das organizações com maior lucro, receita, participação no mercado, valor de marca, etc.

O diagnóstico é pautado no benchmarketing do GPTW. A partir da avaliação, a empresa descobrirá os pontos fortes e as oportunidades de melhoria, dando mais precisão aos investimentos em pessoas e conhecendo as práticas de excelência. Logo, o CEO enxergará a relação de causa e efeito entre mudanças e ganhos.

Você pode complementar a argumentação com dados e estatísticas validados sobre os benefícios de investir em pessoas, que demonstram claramente que, na verdade, esse é um investimento na empresa como um todo.

Os resultados financeiros ao investir em pessoas

As empresas que usam o diagnóstico do GPTW para melhorar suas práticas e conquistar o selo de qualidade apresentam um desempenho melhor nos indicadores financeiros. O que demonstra a relação entre o desenvolvimento de pessoas e do ambiente de trabalho com os resultados organizacionais.

Na bolsa de valores, por exemplo, o retorno dos investidores é significamente maior. Enquanto as empresas com a certificação apresentam um histórico de R$ 1.005,00 para cada R$ 100,00 alocados, as não certificadas rendem R$ 326,00, em média.

Igualmente, a rentabilidade do patrimônio líquido é bastante superior: 16,7% contra 3,9% das demais empresas da bolsa de valores. Esse indicador mede quanto a organização devolve em relação aos investimentos realizados pelos acionistas, logo, é uma métrica importante em termos de resultados financeiros.

Um terceiro destaque é o crescimento contínuo de faturamento e lucro das organizações. Em um histórico de 8 anos, de 2002 a 2010, por exemplo, as melhores empresas para trabalhar avançaram entre 8% e 12%, ao longo anos, enquanto as demais organizações oscilaram entre 3% e 8%. Logo, os resultados são mais sustentáveis.

Impacto do clima organizacional nos resultados

Investir em um contexto de trabalho mais favorável traz mudanças positivas em indicadores que, geralmente, são uma verdadeira dor de cabeça para os gestores. Haverá um grande retorno em relação à permanência de talentos e à redução do turnover.

Para ilustrar, nos millennials, as chances de permanecer em um excelente lugar para trabalhar são 20 vezes superiores. O fator de permanência também é elevado na geração X, 15 vezes, e nos baby boomers, 9 vezes. Logo, são afetados os principais grupos que hoje integram o mercado de trabalho.

Além disso, as culturas de alta confiança, presentes nas 100 melhores empresas para se trabalhar, levam à redução do turnover pela metade. Logo, geram um grande impacto em relação aos custos, tendo em vista que esse indicador é um dos mais nocivos aos cofres das organizações.

A marca empregadora como diferencial competitivo

As melhorias de gestão de pessoas também influenciam o employer branding— o desenvolvimento da marca empregadora. Na prática, o retorno está em ser mais competitivo para atrair os melhores profissionais.

A principal ajuda da pesquisa de clima é entendermos a eficácia das ações relacionadas aos fatores-chave para atração e permanência dos colaboradores. Na pesquisa GPTW-2017 Brasil, os indicadores mais importantes foram os seguintes:

  • oportunidades de crescimento — 44%;
  • qualidade de vida — 24%;
  • alinhamento de valores — 14%;
  • remuneração e benefícios — 14%;
  • estabilidade — 2%.

Nesse sentido, ser reconhecido como um local de trabalho que oferece oportunidades de crescimento, qualidade de vida etc. é fundamental para competir pelos melhores profissionais do mercado. Daí a importância de investir em gestão de pessoas para entregar valor aos funcionários e construir a marca empregadora.

Um dado bastante significativo é que as 150 melhores empresas para trabalhar no Brasil receberam 8,2 milhões de currículos em 2017, ou seja, uma média de 55 mil por organização. Portanto, são muito mais atrativas do que as demais.

A experiência dos profissionais em relação a diversidade e liderança

Em relação ao trabalho voltado para o employee experience, dois fatores demonstram uma especial influência nos resultados das empresas e podem ser bons argumentos para investir em pessoas.

As empresas que apresentam os menores gaps em relação à experiência de brancos e de minorias demonstram um crescimento de receita 30% superior. Na média, elas avançam 11,1% ao ano contra 8,6% das organizações com maiores diferenças.

Outra característica relevante para os resultados é a qualidade dos líderes. Entre o nível inicial de desenvolvimento de liderança e o nível máximo (líder For All), percebemos ganhos em indicadores-chave:

  • produtividade — 353%;
  • agilidade — 300%;
  • inovação — 325%;
  • permanência — 128%.

Além disso, 93% dos liderados pelos líderes For All tem uma experiência positiva no trabalho. Por isso, como no nível 1, o patamar é de 28%, o percentual triplica à medida que quem está à frente da equipe se torna mais efetivo.

A apresentação dos dados e argumentos

Como visto, investir nas pessoas, oferecendo um excelente lugar para trabalhar, é uma estratégia fundamental para construir vantagens competitivas e melhorar os resultados da empresa. E essa conclusão está apoiada dos dados.

Nesse sentido, é muito importante fazer parte do programa de certificação e realizar a pesquisa de clima do GPTW. Em relação à forma de apresentar os argumentos ao CEO, haverá, pelo menos, seis benefícios:

  • informações claras e validadas sobre a realidade da empresa;
  • indicação da relação entre pontos de melhoria e possíveis ganhos;
  • entendimento dos pontos fortes da empresa e de como eles podem ser potencializados;
  • comparação das práticas de gestão de pessoas com as usadas pelas melhores organizações;
  • entendimento da influência do clima organizacional nos resultados da empresa;
  • metas claras com a definição do caminho até se tornar um excelente lugar para se trabalhar.

Sendo assim, se você vem enfrentando dificuldades para obter o patrocínio do CEO, a pesquisa de clima tornará a argumentação mais convincente, demonstrando claramente qual é a relação entre resultado organizacional e gestão de pessoas, bem como aonde a empresa pode chegar se investir nos colaboradores.

Para tirar dúvidas sobre a certificação e ver os pontos levantados mais à fundo, confira nosso e-book sobre como ser uma empresa certificada ou, se preferir, entre em contato conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se