Por: Lina Nakata

Por: Lina Nakata

25 junho, 2018 • 10:21

Quando você vai adquirir um produto ou contratar um serviço, mas está em dúvida sobre qual empresa lhe servirá melhor, você precisa procurar um fator de desempate. Se um potencial fornecedor apresentar um selo de qualidade ou alguma certificação comprovando competência naquilo, seria um diferencial, certo?

Nesse sentido, temos visto diversas possibilidades de certificação, desde as mais formais, como as normas ISO que atestam a gestão da qualidade, até as mais informais, que se originam de avaliações públicas, como os selos da Trip Advisor para temas turísticos. As pessoas costumam confiar mais em produtos e serviços de empresas certificadas do que aquelas que não possuem nenhum tipo de atestado externo.

Certificação é algo que deve ser feito seguindo um ritual, cuja etapa final é a formalização em um documento. Os certificados devem ser emitidos por alguma instituição que tenha fé pública e que tenha credibilidade perante a sociedade, por lei ou por aceitação social.

E por que isso seria interessante? Independentemente do tipo, as certificações garantem solidez, responsabilidade, facilidade nas relações de negócios, maior segurança, sustentabilidade e melhorias nos processos produtivos. Uma organização certificada é como um profissional que possui diplomas, títulos e certificados de cursos, ou seja, que se mostra mais capaz de oferecer o melhor.

Desde 1997, recebemos milhares de inscrições para concorrer às diversas posições das listas de melhores empresas para trabalhar, e até hoje já concedemos esse reconhecimento a mais de 6.200 organizações. As empresas premiadas têm o direito de usar o selo de Great Place to Work em todas as suas comunicações e sempre ouvimos relatos de quão importante é esse carimbo para as instituições, os funcionários, os gestores e todos os envolvidos.

Assim, ainda neste ano, teremos também um processo para certificar as organizações que apresentam um bom ambiente de trabalho, por meio de um Trust Index — índice de confiança — mínimo. Será gratificante ver mais e mais organizações com o selo do Great Place to Work, afinal queremos que a nossa missão – “Construir uma sociedade melhor, transformando cada organização em um Great Place to Work” – se fortaleça!

Nos Estados Unidos, esse movimento começou em 2016, ano em que 840 organizações foram certificadas. Hoje, centenas de empresas continuam a receber sua certificação por lá. Por aqui, conquistamos a marca de 1.600 certificadas em 2017 e 2018 promete ser um ano com mais organizações preocupadas em assegurar a qualidade do ambiente de trabalho.

Vale a pena certificar a sua empresa! Saiba como clicando aqui.

Deixe seu Comentário

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se