Por: GPTW em parceria com a Youleader Brasil

Por: GPTW em parceria com a Youleader Brasil

13 janeiro, 2022 • 10:35

Um líder é capaz de influenciar positivamente as pessoas e para ter bons profissionais à frente das equipes é importante desenvolver características especiais. Uma delas é a liderança empática e seu poder de transformar as relações e o ambiente de trabalho.

Nesse contexto, a empatia se torna uma habilidade importante dentro do pacote das chamadas soft skills. Se colocar no lugar dos outros e entender como se sentem, suas dificuldades e expectativas é algo que todo líder deve desenvolver continuamente.

O objetivo deste post é falar sobre o poder da empatia na liderança e relacionar com o modelo tradicional, salientando a importância da sua prática pelos gestores. Continue lendo e veja 5 dicas de como desenvolver a liderança empática dentro das empresas!

O poder essencial da empatia

A preocupação com o outro, como ele sente e reage às mais variadas ocorrências do dia a dia deveria ser um comportamento normal dentro e fora das empresas. Entretanto, a empatia ainda é uma característica a ser desenvolvida, sobretudo, em profissionais que exercem o cargo de liderança.

Com base em três pilares importantes — afetividade, cognição e regulação das emoções — a empatia estimula o poder da compreensão e do compartilhamento. Dessa forma, um ambiente empático favorece as relações, permitindo que as pessoas interajam com leveza e cumplicidade, o que é fator primordial para que o líder consiga resultados satisfatórios.

Liderança tradicional x liderança empática

O modelo tradicional de liderança já não tem mais espaço em um mundo corporativo que dissemina a importância de as empresas se preocuparem com o bem-estar dos colaboradores. Para ter uma equipe motivada e produtiva, os líderes precisam conhecer bem a equipe, seus pontos fortes e fracos.

A liderança empática é transformadora, permitindo uma gestão mais humanizada, justa e próxima. É essa proximidade que pode gerar melhores resultados, uma vez que a equipe se sente pertencente e com maior liberdade para dialogar, expressando seus sentimentos sem receio de uma interpretação equivocada.

5 dicas para desenvolver a liderança empática nas empresas

A liderança empática demanda um processo de construção e desenvolvimento, de dentro para fora. Isso quer dizer que o líder precisa entender a importância de estabelecer uma relação de confiança e que a empatia é um ingrediente importante nesse contexto.

Existem boas formas de desenvolver essa habilidade, por isso, selecionamos 5 dicas que podem ajudar você a ter uma liderança empática e fazer uma gestão diferenciada para ajudar a empresa a se tornar um excelente lugar de trabalho!

1. Pratique o autoconhecimento

Para ter a capacidade de interpretar e compreender muito do que sentem as pessoas, um líder deve primeiro conhecer a si mesmo. O autoconhecimento permite maior entendimento de comportamentos e emoções, a partir do que você mesmo faria se estivesse dentro de uma determinada situação.

2. Ofereça feedbacks contínuos

É extremamente importante dizer aos colaboradores onde estão acertando ou errando e a possibilidade de que eles mesmos façam uma análise do que podem intensificar ou corrigir. O feedback constante maximiza a confiança nas ações e minimiza a recorrência de falhas — um líder empático será capaz de enxergar as deficiências, mas jamais esquecer de exaltar as competências.

3. Ouça os colaboradores

Assim como fornecer feedbacks, é essencial ouvir o que os colaboradores têm a dizer, seja sobre sua atuação como líder ou para contribuir com ideias e sugestões. Essa abertura aproxima líder e equipe, facilita a comunicação e diminui a distância hierárquica que, na verdade, é apenas uma questão de ter mais ou menos responsabilidades.

4. Dê autonomia à equipe

Prepare seus colaboradores para a autogestão e tenha uma equipe de alta performance, afinal, a capacidade de tomar decisões não deve ser exclusiva da liderança. Dar autonomia de trabalho traz segurança, empoderamento e, especialmente, motivação, uma vez que os colaboradores se sentem felizes e valorizados ao perceberem o quanto o líder confia em seu trabalho.

5. Seja gentil e paciente

A gentileza gera gentileza, já dizia um ditado, e a liderança empática requer uma gestão com autoridade, sem, contudo, ser autoritária. Você não precisa elevar o tom de voz ou chamar a atenção de um colaborador na frente dos outros membros da equipe, para mostrar quem está no poder.

Pelo contrário, um bom líder busca com paciência entender primeiro uma situação, avaliar as causas e danos, para só depois tomar providências. Mesmo diante de uma falha grave é possível lidar com o problema de uma forma respeitosa, ainda que seja um ato que traga alguma consequência para um ou mais funcionários.

Existem diversos tipos de líderes e cada um escolhe como conduzir as equipes e alcançar os resultados propostos. Entretanto, independentemente da forma de gestão, a empatia é fundamental para a construção de um ambiente produtivo.

Como você viu, a liderança empática pode influenciar e motivar os colaboradores e manter o clima organizacional saudável. O líder que entende e pratica ações de melhoria na própria gestão, tendo a empatia como base de sustentação, certamente terá mais êxito em suas conquistas.Se você gostou do post, aproveite para ler mais sobre o assunto em outro artigo, dessa vez para entender melhor como praticar a empatia em situações de crise e outros momentos do negócio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se