Por: Carolina Pimentel

Diretora e Fundadora da Geração Social - empresa do Ecossistema GPTW

Por: Carolina Pimentel

Diretora e Fundadora da Geração Social - empresa do Ecossistema GPTW

20 abril, 2022 • 11:07

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são uma agenda proposta em 2015 pela ONU (Organização das Nações Unidas). A iniciativa traz 17 objetivos relacionados à sustentabilidade, como o fim da fome e da pobreza, a ação contra mudanças climáticas, o combate à desigualdade e à injustiça, a promoção dos direitos humanos, entre outros desafios. Empresas, ONGs e governos do mundo todo podem — e devem — adotar os ODS em suas estratégias. Os ODS devem ser cumpridos até 2030.

Em 2000, a ONU lançou os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), mais conhecidos como as 8 maneiras de mudar o mundo. Essa foi a primeira iniciativa de sustentabilidade da ONU, amparada em objetivos, indicadores e metas, com duração de 15 anos (2000-2015), assim como é hoje com os ODS (2015-2030).

Em 2015, houve um grande avanço em relação aos compromissos assumidos,ainda que eles não tenham sido 100% atingidos. Pensando em expandir ainda mais esses progressos conquistados, os 8 ODM foram desdobrados em 17 ODS e 169 metas, com atualizações pertinentes aos novos desafios das empresas, da sociedade e do mundo.

Quais são os 17 ODS?

Cada Objetivo de Desenvolvimento Sustentável possui um ponto central, com metas e indicadores específicos. Conheça cada um dos ODS e seus propósitos.

ODS 1: Erradicação da Pobreza: acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares.

ODS 2: Fome Zero e Agricultura Sustentável: acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável

ODS 3: Saúde e Bem-Estar: assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades

ODS 4: Educação de Qualidade: assegurar a educação inclusiva e equitativa de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos

ODS 5: Igualdade de Gênero: alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.

ODS 6: Água Potável e Saneamento: assegurar a disponibilidade e a gestão sustentável da água e saneamento para todos.

ODS 7: Energia Acessível e Limpa: assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos.

ODS 8: Trabalho Decente e Crescimento Econômico: promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, o emprego pleno e produtivo e o trabalho decente para todos.

ODS 9: Indústria, Inovação e Infraestrutura: construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação

ODS 10: Redução das Desigualdades: reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles.

ODS 11: Cidades e Comunidades Sustentáveis: tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.

ODS 12: Consumo e Produção Responsáveis: assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis.

ODS 13: Ação Contra a Mudança Global do Clima: tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos

ODS 14: Vida na Água: conservar e promover o uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.

ODS 15: Vida Terrestre: proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda.

ODS 16: Paz, Justiça e Instituições Eficazes: promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis.

ODS 17: Parcerias e Meios de Implementação: fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável.

Para conhecer as metas específicas de cada ODS no Brasil e o progresso de cada uma, acesse o portal da iniciativa.

O que os ODS têm a ver com ESG?

ESG significa Ambiental, Social e Governança, tríade do desenvolvimento sustentável. São os pilares para as empresas se tornarem sustentáveis e para os investidores avaliarem quais empresas têm projeção de longo prazo.

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável trazem os principais desafios de nossa sociedade, apontando de qual maneira as empresas devem atuar para serem sustentáveis e construírem projetos com real impacto, amparados em objetivos e metas globais.

Várias metodologias de sustentabilidade consolidadas usam os ODS como fator de relevância, como o GRI (Global Reporting Initiative), ISE B3 (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3), o IGPTW B3 (índice lançado em parceria pela B3 e pelo GPTW), o Sistema B, entre outros. Inclusive, 83% das empresas presentes no ISE B3 têm ações alinhadas aos ODS.

Desse modo, apesar de ESG não ser um sinônimo de ODS, ambos têm princípios muito semelhantes.

Quando falamos do pilar Ambiental, podemos citar a atuação nos ODS 6, 7, 9, 11, 12, 13, 14 e 15; já em relação ao Social, os ODS 1, 2, 3, 4, 5 e 10; e Governança, 8, 16 e 17.

O que as empresas devem fazer para alcançar esses objetivos?

Uma empresa sustentável vai continuar existindo a longo prazo, tendo recursos disponíveis para produção e realização dos serviços que oferece, com uma gestão inclusiva e justa, pessoas saudáveis e engajadas para trabalhar na empresa, além de uma comunidade desenvolvida para consumir seus produtos e serviços.

Além de a sustentabilidade empresarial atuar para o desenvolvimento do planeta, também garante a evolução da própria empresa. Isso é ótimo para os stakeholders envolvidos com a empresa, é essencial para o meio ambiente e também é excelente para os negócios, pois para quem investe em ESG, os ODS são uma ótima maneira de comunicar que a empresa tem uma atuação sustentável.

A adoção de estratégias baseadas nos ODS é um compromisso de todas as organizações que participam do Pacto Global da ONU, maior iniciativa de sustentabilidade do mundo. No Brasil, 1300 organizações são participantes do Pacto Global.

Podemos concluir que, apesar de não serem iguais, ESG e ODS tem uma relação muito forte, de modo que os ODS devem ser utilizados para a construção das práticas ESG, garantindo que, além de acompanhar métricas, as empresas também podem medir o impacto das ações. Assim, as empresas podem se beneficiar muito desse movimento global da ONU, com indicadores e metas já estabelecidos e conhecidos no mundo todo.

Nós, da Geração Social, consultoria do Ecossistema GPTW focada em ESG e sustentabilidade, estamos à disposição para implantar os ODS na estratégia da sua organização, colocando em prática ações melhores para as pessoas, para os negócios e para o mundo. Entre em contato conosco para saber mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se