Por: GPTW em parceria com a Weego Brasil

Por: GPTW em parceria com a Weego Brasil

13 julho, 2022 • 4:08

A relação entre cultura de dados e RH se fortalece cada dia mais pela facilidade de tomar decisões após análise das informações coletadas.

Com as transformações sociais e mercadológicas cada vez mais comuns, as empresas e suas lideranças precisam se adaptar para pensar de forma estratégica. Nesse sentido, o desenvolvimento de um negócio estratégico é essencial, o que potencializa a relação entre cultura de dados e RH.

O surgimento da cultura Data Driven e de conceitos como Big Data e Business Intelligence fez dos dados um importante instrumento da gestão de pessoas. Com a coleta, tratamento e interpretação adequada, o RH consegue levantar informações relevantes para otimizar processos de recrutamento e seleção, acompanhar indicadores como turnover, gerenciar melhor os benefícios e desempenho dos colaboradores.

Neste post vamos entender melhor essa relação, contextualizando a cultura de orientação por dados e de como ela ajuda o RH a ser mais estratégico para o negócio. Continue lendo e veja como atuar na prática tendo os dados como base das ações!

O que é a cultura de dados?

Nascida do Data Driven, a cultura de dados tem como premissa tomar decisões a partir dos dados sistêmicos gerados. Diariamente, as empresas produzem uma infinidade de dados que precisam ser coletados e filtrados para chegar a informações confiáveis.

Para isso, são usados mecanismos de coleta, tratamento e interpretação, a fim de transformar os dados em informações e, posteriormente, relatórios personalizados para análise e tomada de decisão.

Como os dados podem ajudar o RH em sua atuação estratégica?

A cultura de dados pode ser implementada em qualquer tipo de empresa, de qualquer tamanho, desde que se tenha condições de fazer uma interpretação adequada. No RH, os dados são o verdadeiro combustível que auxiliam na análise de perfil, comportamento e performance.

Sendo o RH um departamento de atuação estratégica, quanto mais embasamento, mais condições de dar suporte aos líderes de área. Os números não mentem, logo, tanto RH quanto a liderança serão imparciais sobre qualquer colaborador que esteja em análise.

Além de render informações confiáveis, a cultura de dados poupa tempo e recursos financeiros. Uma vez compiladas e otimizadas as informações, os processos de RH se tornam mais claros e ágeis, evitando erros e retrabalhos.

Como estabelecer uma boa relação entre cultura de dados e RH?

Antes tomadas por achismo, as decisões agora estão sustentadas em pilares concretos que são os dados. No entanto, de forma isolada são apenas um emaranhado de números e informações desconexas.

É preciso implementar ações e seguir passos que auxiliem tanto o RH, como os setores a desenvolver um pensamento estratégico, considerando o que os dados fornecem. Veja como criar essa conexão!

Medição de dados

Nem todos os dados serão úteis e aproveitados nas análises do RH, logo, é preciso monitorar, mensurar e medir aqueles que de fato fazem sentido para a área. Como estamos falando da gestão de pessoas é fundamental concentrar a atenção na coleta e tratamento somente dos dados relevantes ao negócio e colaboradores.

Acompanhamento de KPIs

Também chamados de métricas e indicadores, são eles que dividem as análises, de acordo com o que se deseja apurar. Vamos tomar como exemplo uma queda na produtividade sem causa aparente.

Pode ser algo relacionado à falta de orientação, como pode ser falha no processo de fluxo de trabalho, como pode ser um sub desempenho individual afetando todo o negócio. Ter um indicador de produtividade permite acompanhar a performance de cada colaborador e descobrir o foco de improdutividade.

Identificação de lacunas de habilidades e necessidades da empresa

As habilidades e competências dos colaboradores são verdadeiros trunfos para uma empresa, entretanto, para assegurar bons resultados é essencial ter profissionais certos nos seus respectivos cargos, ou seja, perfis adequados conforme demanda a área.

Colocar um profissional com formação e experiência em vendas para cuidar de contas a pagar, por exemplo, não só é deixar de valorizar um talento naquilo que ele sabe fazer, como perder a chance de aumentar os resultados da empresa.

Desenvolvimento de lideranças por meio de treinamentos específicos

Lideranças de sucesso devem estar preparadas para enfrentar os mais diversos desafios, estejam eles relacionados ao negócio ou às pessoas. Para tomar decisões assertivas é preciso antes saber interpretar os dados contidos nos relatórios.

Além disso, os líderes devem ter habilidade para tratar os resultados, que nem sempre são positivos. Promover treinamentos que ajudem nessa jornada de autoconhecimento e desenvolvimento de habilidades é essencial para garantir uma atuação justa e eficiente, auxiliando também no desenvolvimento de uma cultura de dados na empresa.

Como você pode ver, a união da cultura de dados e RH resulta em uma poderosa combinação de amparo às ações estratégicas. Quanto mais suporte e embasamento a liderança tiver, menores são os riscos de tomar decisões equivocadas.

Gostou do post? Que tal aproveitar a visita e conferir mais um conteúdo, entenda como usar dados para melhorar o desenvolvimento de líderes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se