Por: Carolina Pimentel

Diretora e Fundadora da Geração Social - Uma empresa do Ecossistema GPTW

Por: Carolina Pimentel

Diretora e Fundadora da Geração Social - Uma empresa do Ecossistema GPTW

20 julho, 2022 • 2:38

Ser uma empresa sustentável é a proposta básica do ESG. E a forma mais comum de uma organização comprovar sua atuação sustentável nos pilares Ambiental, Social e Governança é através dos relatórios de sustentabilidade. 

Neste artigo, você vai compreender o que é GRI, porque essa metodologia de construção de relatórios é tão relevante e por onde começar.

O que é GRI?

O Global Reporting Initiative (GRI) é uma organização holandesa sem fins lucrativos, responsável por desenvolver parâmetros para os relatórios de sustentabilidade, possibilitando, assim, uma comparação entre diferentes instituições e do progresso de uma mesma instituição a partir do uso dessa linguagem comum.

Sua principal contribuição está em garantir a qualidade e clareza das informações e que o conteúdo seja suficiente para o leitor interpretar os dados e formar uma opinião sobre as atividades desenvolvidas pela empresa.

GRI e ESG

Na medida em que as práticas ESG partem do ponto de vista do investidor, os relatórios de sustentabilidade GRI possibilitam a esses investidores uma visão geral sobre a empresa em cada um dos âmbitos ESG, isto é, ambiental, social e de governança.

Desse modo, por meio do relatório, são demonstradas quais práticas foram implementadas, os próximos passos para o alcance de suas metas, os desafios e riscos encontrados, os avanços obtidos e seu o cumprimento ou descumprimento dos compromissos e promessas públicas assumidas em relação à sustentabilidade.

Quais os benefícios de fazer um relatório GRI?

Um relatório de sustentabilidade, mesmo que não siga os padrões GRI, funciona como uma ferramenta para as organizações demonstrarem sua consciência em relação aos seus impactos e seu comportamento sustentável (ou não) para todas as partes interessadas (stakeholders: clientes, fornecedores, colaboradores, comunidade etc.).

Nesse sentido, a metodologia GRI possui o diferencial de ser uma norma internacionalmente reconhecida, fornecendo uma visão sistêmica confiável da situação da instituição na área de sustentabilidade.

O principal benefício do GRI em comparação a outros métodos é a exigência de um processo de materialidade bem definido, com critérios específicos de consulta às partes interessadas sobre os temas mais relevantes para o modelo de negócio em questão.

Assim, essa metodologia garante que a organização não irá escolher arbitrariamente as temáticas, relatando não somente o que convém e mantendo a segurança aos leitores de que houve processo de investigação ativa sobre suas atividades e seus efeitos na economia, no meio ambiente, para as pessoas e seus direitos humanos.

Integração de outras metodologias com o GRI

O GRI é uma metodologia referência para diversas outras iniciativas, como a SASB e questionário do ISE B3, que referenciam os conteúdos do GRI. Inclusive, mesmo não sendo exigido pelas normas, existe um conteúdo específico do GRI que questiona se a organização participa de um tratado voluntário em relação à sustentabilidade, como os ODS e o Pacto Global.

Outra iniciativa que envolve tanto o GRI quanto outras metodologias é o “Relate ou Explique” da B3, em que as empresas listadas na Bolsa de Valores devem relatar quais são os seus esforços para alcançar os princípios do Pacto Global e os ODS nos seus relatórios de sustentabilidade ou então devem explicar porque não estão relatando. Vale destacar que 77% dos relatórios publicados pelas empresas do Ibovespa foram realizados conforme os padrões GRI.

GRI e investimentos

O pioneirismo do GRI é um dos fatores que explicam porque essa metodologia é uma das principais formas de relato sobre sustentabilidade atualmente. Por serem uma norma completa e aplicável para qualquer negócio, os padrões GRI são reconhecidos amplamente pelos investidores, que já possuem um conhecimento prévio sobre sua linguagem.

Sua utilização é vista pelos investidores como uma garantia de qualidade e autenticidade, conferindo credibilidade ao seu conteúdo por ser auditável, em detrimento de práticas enganosas como o greenwashing, em que empresas simulam práticas sustentáveis que não existem na prática.

Com isso, o relato de sustentabilidade GRI funciona, na prática, como uma vitrine, expondo as estratégias de acompanhamento e implementação de projetos, ações e processos sustentáveis e atraindo investimentos para as empresas. 

Como o GRI funciona?

O GRI disponibiliza gratuitamente as suas normas e diretrizes com tradução para diversos idiomas. Em sua metodologia, o GRI apresenta quatro módulos de normas: o módulo “100” apresenta as diretrizes sobre como utilizar a metodologia e construir o processo de materialidade; já os módulos “200”, “300” e “400” apresentam os conteúdos específicos de impactos econômicos, ambientais e sociais respectivamente.

Além disso, a empresa pode optar por realizar um relatório GRI essencial ou abrangente. O Relatório GRI Essencial possui menos requisitos e é mais básico, sendo uma opção interessante para empresas que estão começando, enquanto o Relatório GRI Abrangente é mais completo, em que a metodologia indica quais conteúdos obrigatoriamente devem ser apresentados.

Outra possibilidade é realizar um relatório GRI referenciado, em que as normas são utilizadas apenas como guia, sem compromisso em obedecer a todos os critérios exigidos.

Os relatórios de sustentabilidade GRI podem ser anexados em sua plataforma para serem divulgados e podem ser auditados por empresas referência em auditorias, certificando as evidências apresentadas. O processo de auditoria é opcional.

Dicas: por onde começar o Relatório de Sustentabilidade GRI?

Agora que você já sabe o que é GRI e sua relevância para o mercado, que tal utilizar essa metodologia na construção do seu relatório?

Separamos algumas dicas para auxiliar no processo de construção e divulgação do seu relatório de sustentabilidade GRI:

  1. Antes de começar, leia e compreenda as normas dos cadernos GRI
  2. Depois disso, identifique os stakeholders de sua empresa e consulte-os sobre quais temáticas são relevantes para eles em relação à sustentabilidade.
  3. Realize um benchmarking de companhias do mesmo segmento, observando os temas relevantes presentes em seus relatos de sustentabilidade. Isso ajuda a compreender o cenário, como as demais empresas comunicam e quais temas foram relevantes para elas.
  4. Envolva os setores responsáveis e colete os dados dos indicadores relacionados aos temas materiais. Apresente em seu relato a evolução dos indicadores dos últimos anos e, se possível, as metas para os próximos anos.
  5. Sabendo quais conteúdos são solicitados aos diversos setores da empresa, decida qual tipo de relatório GRI você fará: essencial, abrangente ou referenciado.
  6. Contextualize a empresa em seu relatório, contando sua história e localização geográfica, os produtos e serviços oferecidos, sua geração de valor para a comunidade e desempenho econômico nos últimos anos. 
  7. Comunique de forma simples e acessível: quando falamos de stakeholders, temos que ter em mente que o conhecimento em relação à sustentabilidade é super variado; portanto, evite jargões e sempre explique termos específicos.
  8. Use dados absolutos e de porcentagem para não induzir o leitor a interpretações equivocadas. Traga sempre uma linha do tempo que possibilite a comparação entre os anos.
  9. Depois de finalizado, não se esqueça de divulgar o relatório! Anexe-o na plataforma do GRI, no site da companhia, nas redes sociais e outros tipos de mídia para alcançar todas as partes interessadas.

Com essas dicas, os leitores conseguirão compreender o seu relatório, avaliar se o conteúdo relatado é de fato relevante para o modelo de negócio e formar uma opinião em relação à organização e seus impactos.

Comece já o seu relatório de sustentabilidade GRI!

Neste artigo você aprendeu o que é o GRI, quais são os seus diferenciais, suas ligações com outras metodologias e qual caminho trilhar para construir o seu próprio relatório. Esperamos que você tenha gostado!

E se precisar de ajuda, nós da Geração Social nos colocamos à disposição para auxiliar sua empresa a construir o seu relatório de sustentabilidade GRI. Somos a nova consultoria especializada em ESG e Sustentabilidade do Ecossistema GPTW. Entre em contato conosco ou visite nosso site para saber mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se