Por: Anna Oliveira

Por: Anna Oliveira

13 agosto, 2019 • 12:20

Em 83% das integrantes do Ranking 2019, há um profissional responsável por combater a discriminação e promover a diversidade. Nesta segunda-feira (12 de agosto), as melhores empresas foram reconhecidas no evento de premiação realizado no Espaço das Américas, em São Paulo.

 

A 23ª edição do ranking As Melhores Empresas Para Trabalhar no Brasil aconteceu nesta segunda-feira, dia 12 de agosto, no Espaço das Américas, em São Paulo. Na ocasião, 150 organizações receberam o prêmio de reconhecimento, sendo 80 grandes, 35 médias nacional e 35 médias multinacionais. Ao todo, foram 2.645 empresas inscritas no processo, 15% superior em relação ao ano de 2018 e recorde de todos os anos de pesquisa, representando 1.305.881 colaboradores. Lembrando que, para participar do ranking, a organização precisa ter, no mínimo, 100 funcionários e um CNPJ registrado no Brasil. Entenda aqui como participar.

Das 150 empresas, 75 empregam funcionários fora do Brasil, totalizando 2.726 brasileiros que atuam no exterior. Levando em consideração o campo de atuação, as premiadas se distribuem entre 18 ramos de atividade diferentes, empregando de 102 a 95.315 trabalhadores. Produção e Manufaturas, Tecnologia da Informação e Serviços Financeiros e Seguros são os setores que mais concentram premiadas (35, 33 e 23 empresas ranqueadas, respectivamente).


Números de destaque

As premiadas possuem, em média, 37 anos de existência e, diferentemente da alta taxa de rotatividade que coloca o Brasil como um dos países com o maior turnover, 13% das empresas realizaram demissão em massa no último ano. Em 2018, essa porcentagem tinha sido maior: 18% das 150 melhores realizaram demissão em massa. Em relação a taxa de saída voluntária, a das melhores é de, em média, 7% — mesma porcentagem apresentada na edição anterior do ranking.

Na comparação com a edição anterior, também podemos notar um aumento no índice de confiança, que diz respeito às relações estabelecidas no ambiente de trabalho. Se em 2018 o Trust Index (ou, em português, o Índice de Confiança) foi de 86, na edição de 2019 subiu para 88 (o maior número da história).

Outros dados que merecem destaque entre as melhores empresas:

  • 52% oferece universidade corporativa.
  • 75% oferece bolsas de estudos para cursos de idiomas.
  • 79% oferece bolsas de estudos para cursos de graduação ou pós-graduação.
  • 59% dos funcionários das empresas premiadas receberam mais de 3 feedbacks no ano.
  • As empresas receberam, em média, 56.000 currículos no último ano.
  • 646 é a média de indicações recebidas no último ano, por funcionários das premiadas.


Diversidade em alta

Na maioria das empresas, há alguém na organização responsável por combater a discriminação e promover a diversidade. Dentre as empresas que compõem o ranking desse ano, 83% delas têm um profissional cumprindo essa função, o que só demonstra que a preocupação com a diversidade continua em foco.

Outros reflexos dessa preocupação são benefícios como as licenças maternidade e paternidade. No recorte das 150 melhores, 5 meses é a média de tempo de licença para as mães, enquanto a média do tempo de licença para os pais é de 12 dias. Levando em consideração as organizações que oferecem a licença-maternidade ampliada de 6 meses, a porcentagem é de 49%, enquanto a porcentagem das que adotaram a licença-paternidade de 20 dias é de 39%.

As melhores empresas de 2019

Confira a lista completa com As 150 Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil: empresas de grande porte, de médio porte nacionais e de médio porte multinacionais.

Empresas premiadas – GRANDES:

Empresas premiadas – MÉDIAS NACIONAIS:

Empresas premiadas – MÉDIAS MULTINACIONAIS:

Caso queira conhecer os outros Rankings do GPTW, clique aqui.

As fotos do evento estão disponíveis aqui.

Deixe seu Comentário

1 comentário

  • Postado por: Hilgo •

    Foi um excelente evento. O melhor ate agora

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se