Por: Cauê Oliveira

Diretor da Youleader Brasil - Uma empresa do Ecossistema GPTW

Por: Cauê Oliveira

Diretor da Youleader Brasil - Uma empresa do Ecossistema GPTW

11 maio, 2022 • 11:22

É muito importante que as empresas estejam preparadas para atender às necessidades da sociedade, considerando as mudanças de cada momento. Nesse sentido, as competências para líderes de sucesso acompanham essa evolução.

Hoje em dia, boa parte dessas mudanças está relacionada ao avanço da tecnologia. Novas formas de vender, se comunicar, vivenciar experiências surgiram com as soluções tecnológicas mais recentes, e muito ainda está por vir, não é mesmo?

A liderança precisa estar preparada e desenvolver habilidades importantes para essas novas demandas. Confira quais são as Top 6 competências necessárias para líderes em 2022 e fique mais preparado para gerir no mundo de hoje!

1. Inovação

A inovação é cada vez mais uma necessidade para as empresas. Ao encontrar novas maneiras de fazer as coisas, a organização sai na frente em muitas situações, responde a estímulos do ambiente de negócios e se adapta às mudanças, entre outros benefícios.

Um bom exemplo são os resultados obtidos por meio do Innovation Velocity Ratio — IVR. Em português, o índice da velocidade da inovação é um indicador utilizado para mensurar a capacidade das empresas responderem aos estímulos do ambiente interno e externo com novas soluções, produtos, serviços, processos, etc. 

Aliás, nas pesquisas do GPTW, constatamos que as empresas mais bem-sucedidas são justamente aquelas que contam com os melhores números, nesse quesito.

O IVR também ajuda a entender o papel do líder em relação à inovação. Dentro de uma empresa, há condições causadoras de atrito — que reduzem a velocidade dos movimentos criativos até, em último caso, eles ficarem estagnados. Assim, o líder pode representar um desses atritos ou ser alguém que, de fato, contribui para a velocidade da inovação na empresa.

É uma atuação que, aliás, começa no dia a dia. Se, por exemplo, um colaborador tem um insight para melhorar os processos da empresa, a postura do líder pode acelerar ou desacelerar a inovação. O gestor vai escutar a ideia? Vai estar aberto a mudar se realmente ela melhorar o processo? Está disposto a arriscar ou, pelo menos, testar um protótipo?

Em síntese, a inovação está bastante relacionada a como o líder trata as pessoas. Se está aberto ao diálogo e incentiva a equipe, entendendo que erros fazem parte do processo, as chances de surgir algo novo são maiores.

2. Gestão emocional

As competências para líderes em 2022 também incluem a gestão de emoções. Essa prática acontece em diferentes níveis de comportamento organizacional e está bastante associada à prevenção de problemas de saúde mental no trabalho, como a Síndrome de Burnout.

Em primeiro lugar, o líder precisa desenvolver inteligência emocional e começar a cuidar mais de si mesmo. É natural ter momentos de vulnerabilidade, sendo o autocuidado e a inteligência emocional de grande importância para continuar em frente mesmo nas adversidades.

Ao estar bem consigo mesmo, o profissional tende a projetar comportamentos mais positivos no ambiente de trabalho. Junto a essas práticas, é necessário cuidar das questões de saúde mental, ajudando a construir um bom clima organizacional.

Por fim, no nível da empresa como um todo, o líder pode contribuir como promotor de uma cultura de confiança. Pessoas que confiam em seus gestores estarão mais dispostas a falar sobre carga de trabalho, necessidades não satisfeitas, imprevistos na vida pessoal com impacto no trabalho, problemas de saúde, etc. Logo, os problemas vêm mais à tona, e as correções necessárias podem ser feitas.

3. Diversidade e inclusão

A participação dos gestores é fundamental para promover a diversidade e inclusão. Afinal, são os líderes que atuam mais diretamente para que todos tenham iguais respeito e consideração no dia a dia.

Os cuidados com a diversidade e inclusão também estão associados à capacidade de inovação e resolução de problemas. Pessoas com experiências, personalidades e visões de mundo diferentes podem criar processos de diálogo mais ricos e, assim, chegar a soluções para a empresa.

Ademais, quando as pessoas têm suas identidades, costumes e valores respeitados, a tendência é que sejam mais identificadas com o ambiente e confiem mais no gestor. E, como dependemos da diversidade para melhorar nossa capacidade de inovar e resolver problemas, criar um lugar em que “você pode ser você mesmo” se torna um dever da liderança.

4. Liderança situacional

Outra das top competências para líderes em 2022 é a liderança situacional. Isto é, quem está à frente da equipe não deve ficar engessado, mantendo uma única abordagem, mas transita entre diferentes formas de gerir pessoas conforme o cenário.

Um bom ponto de partida é o líder saber escutar. Ouvir os colaboradores é um bom começo para adaptar o estilo de liderança. Há aqueles que trabalham melhor com mais direcionamentos, outros com autonomia, um terceiro grupo quer sempre compartilhar ideias e existem ainda os profissionais que são mais tímidos.

São tantas variáveis que ouvir os colaboradores é mais fácil que tentar adivinhar como cada profissional se sente mais confortável. Além disso, a escuta é uma das ferramentas mais importantes para construir relações de confiança.

Junto às diferenças entre as pessoas, o cenário pode exigir mudanças no estilo de liderança. As equipes podem ter diferentes níveis de capacitação, a empresa pode estar em um momento bom ou ruim, entre outras variáveis. Por isso, o líder de hoje deve ser adaptável, modificando sua abordagem para cada situação.

5. Comunicação

O trabalho do líder é realizado por meio de processos de comunicação. É a linguagem verbal e não verbal do gestor que vai transmitir confiança, motivar o colaborador, orientar sobre o trabalho e assim por diante.

Vale a pena investir em uma comunicação direta e sincera, one on one, criando relações de confiança abertas ao diálogo com os membros da equipe. O que dependerá não apenas da capacidade de ser assertivo, mas principalmente de saber ouvir. 

Cada vez mais a escuta se coloca como um elemento indispensável. O líder precisa ouvir e absorver o feedback, gerenciando emoções e tentando tirar algo produtivo da fala do colaborador. Assim, terá mais conhecimento para tomar as decisões e contribuir para com o time.

Outra característica da comunicação atual é a digitalização. A capacidade de comunicação no meio digital é um novo estágio de desenvolvimento dessa competência, que sempre foi bastante útil no ambiente de trabalho. 

Muitos líderes enfrentam esse desafio e precisam gerir ambientes de trabalho com colaboradores em home office, por exemplo. Aqui, será preciso buscar novas formas de conhecer e aproximar as pessoas.

Alguns rituais, como celebrar datas importantes (aniversário de um colaborador, o dia da profissão etc.), manter reuniões de feedback ainda que por videoconferência e destinar alguns minutos na semana para interação do time, são exemplos.

6. Capacidade de aprendizado

As competências para líderes incluem a própria capacidade de adquirir novos conhecimentos, habilidades e atitudes. O líder de hoje precisa aprender ao longo de toda a vida profissional.

Basta imaginar que as habilidades técnicas podem ficar defasadas diante das mudanças. Novas tecnologias, métodos de trabalho e problemas surgem frequentemente, e muitos deles afetam o trabalho do gestor.

Por sua vez, as habilidades comportamentais são cada vez mais exigidas no ambiente de trabalho. Inclusive, citamos algumas delas ao longo do conteúdo, como comunicação, inteligência emocional e escuta ativa.

Nesse sentido, é importante que todas as partes estejam empenhadas no processo de desenvolvimento. Não só a organização pode auxiliar com condições para capacitação, como o gestor deve ir atrás das competências necessárias. 

Mais que nunca, essas pessoas precisam exercitar o lifelong learning. Ao aprender durante toda a vida, as lideranças enriquecem as organizações com novos conhecimentos e experiências. Assim, ajudam a cultura da empresa a evoluir e auxiliam o crescimento dos liderados. 

Portanto, tendem a vivenciar os benefícios do protagonismo profissional, em termos de oportunidades e crescimento de carreira.

Desenvolvendo as competências para líderes

Para ajudar nesse processo, as capacitações exclusivas de liderança são fundamentais. Assim, as lideranças podem praticar um desenvolvimento contínuo, acompanhando as tendências e sabendo como lidar com os desafios que surgirem ao longo do caminho.

Aqui na Youleader, empresa do ecossistema GPTW, existe um portfólio repleto de soluções para que os líderes estejam sempre atualizados com relação às temáticas mais pulsantes do mercado. 

Além de programas que focam o desenvolvimento completo da liderança, como é o caso da “Academia Youleader”, a Youleader realiza Workshops específicos em assuntos-chave para o sucesso dos gestores, por exemplo:

  • diversidade e inclusão;
  • inovação;
  • protagonismo;

A partir desses programas de desenvolvimento, os gestores conseguem desenvolver melhor suas competências, investindo na busca de conhecimento. É, como nos referimos acima, um processo contínuo, que prepara lideranças para lidar com os desafios da atualidade e contribuir para com o sucesso da organização.

Gostou do conteúdo? Para aprofundar seus conhecimentos sobre o desenvolvimento de pessoas para as posições-chave, leia mais em nosso artigo “Liderança: 12 comportamentos de liderança que definem uma grande gestão” e complemente a sua leitura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se