Por: Caroline Maffezzolli

Diretora de Inteligência de Mercado Great Place to Work Brasil

Por: Caroline Maffezzolli

Diretora de Inteligência de Mercado Great Place to Work Brasil

18 agosto, 2020 • 9:42

People Analytics é uma metodologia que desempenha papel importante na otimização e melhoria dos processos de RH para beneficiar sua atuação estratégica nas empresas e nas áreas.

O RH mudou e com ele os meios utilizados para colher e monitorar os principais dados sobre o comportamento e o desempenho das pessoas. Cada vez mais estratégico, o departamento se vale de recursos como o People Analytics para melhorar seus processos.

O método ajuda não só a equipe de RH, mas também os gestores e líderes de equipe a tomar decisões com base em informações concretas. Os resultados tendem a ser mais positivos e favoráveis ao crescimento da organização.

Neste post, trazemos o conceito do People Analytics, seus pilares e a integração com estratégias similares. Continue a leitura e veja como os processos de RH podem ser otimizados e aperfeiçoados pelo People Analytics!

O que é o People Analytics?

Também chamado de análise de pessoas, o People Analytics é um método de coleta, organização e diagnóstico de dados para uma abordagem mais abrangente sobre as equipes, considerando aspectos como relacionamento, desempenho e expectativas.

As informações são cruzadas e comparadas com a ajuda de softwares desenvolvidos especificamente para proporcionar melhor gerenciamento. O People Analytics possibilita melhorar o planejamento de metas e previsão de resultados, a partir da análise de critérios que dependem dos times em diversas instâncias.

Quais são os pilares do People Analytics?

A composição do método se dá por pilares, divididos em 4 níveis, que se complementam ao fornecer informações coletadas por meio dos dados gerados, durante sua aplicação.

Análise descritiva

As ocorrências passadas servem de base para mensurar e compreender os resultados já alcançados. Com o suporte de ferramentas como o BI — Business Intelligence, por exemplo, será mais fácil mapear os acontecimentos e extrair os dados mais relevantes.

Análise de diagnóstico

Quando erros são detectados é fundamental descobrir e entender por que ocorreram. O nível do diagnóstico possibilita encontrar os motivos que geraram a falha. Por outro lado, o contexto também pode ser positivo, em que a análise é realizada para identificar e focar nas ações bem-sucedidas.

Análise Preditiva

A análise ajuda na prevenção das ocorrências. Ela pode evitar que o passado se projete sobre o que está por vir, antecipando as decisões, sobretudo, para a mudança de estratégias.

Análise Prescritiva

Nesse nível, a análise tem como objetivo, direcionar o que pode ser feito para evitar ou solucionar os possíveis problemas. É uma análise mais avançada, com perspectivas mais aprofundadas, que se baseiam na trajetória de análises, reunindo passado, presente e futuro.

Qual o papel da solução na otimização e aperfeiçoamento dos processos de RH?

Os empreendedores e gestores esperam atuar à frente de uma organização bem-sucedida, com alto potencial de crescimento e de domínio no mercado. Para alcançar esse patamar elevado e se tornar referência é preciso, contudo, cuidar do maior patrimônio – as pessoas.

São elas, as responsáveis por colaborar, efusivamente, para alavancar o negócio, mas para isso, precisam de valorização e motivação. Com o People Analytics, a equipe de RH terá condições de melhorar os diagnósticos e fazer levantamentos mais precisos.

Recrutamento e seleção

Ao compreender melhor as necessidades e demandas da organização é possível realizar um processo de recrutamento e seleção mais alinhado a essas perspectivas – as boas contratações otimizam o tempo de adaptação e dão aos talentos recém-chegados, maior autonomia de trabalho.

Os profissionais que se identificam com o perfil da empresa mesmo antes de serem contratados, tendem a se sentir mais seguros e dispostos a oferecer o máximo das suas habilidades e competências para corresponder às expectativas.

Para traçar o perfil ideal, a coleta de diversos dados — perfil profissional, perfil pessoal, conhecimento técnico, capacidade de relacionamento — facilita a análise comparativa para determinar o fit cultural na avaliação de candidatos.

Engajamento

O engajamento dos colaboradores é um ponto que não pode ou deve ser negligenciado pela gestão da organização. A entrega de resultados depende do quanto os colaboradores se sentem felizes e envolvidos pelo negócio, relacionando às boas práticas de employee experience.

Compreender o grau de motivação ajuda a desenvolver ações que estimulem a retenção, reduzindo o turnover e os índices de insatisfação. A realização de uma pesquisa de clima organizacional, por exemplo, pode revelar detalhes sobre o ambiente, não percebidos no dia a dia.

Assim, o RH consegue estabelecer uma conexão direta entre as áreas, os times, as lideranças e a gestão como um todo, para tornar a organização o melhor lugar para trabalhar, aumentando a produtividade e a rentabilidade na sequência.

Gestão de desempenho

Para ter uma equipe de alta performance é essencial acompanhar os talentos e conhecer suas aspirações profissionais. A retenção depende de um relacionamento de via dupla, onde as duas partes saem ganhando.

De um lado a organização, com o bom desempenho e dedicação dos seus colaboradores, do outro, os colaboradores e a certeza de que estão se desenvolvendo na carreira, sendo desafiados e valorizados, como profissionais e pessoas.

O sentimento de pertencimento é, inclusive, um dos motivos mais fortes de permanência das pessoas vinculadas à empresa em que trabalham. Mesmo com oportunidades melhores de salário e benefícios, muitos optam por ficar, pela coerência do relacionamento e chances reais de crescimento na carreira.

Com a ajuda do RH e dos dados analisados por meio do People Analytics, gestores e líderes enxergam melhor o perfil de cada membro da sua equipe, atribuindo funções e tarefas mais adequadas para atingir metas e resultados, cada vez mais ousados.

Como relacionar estrategicamente o People Analytics com métodos similares?

A similaridade do People Analytics com ferramentas como o Big Data e o Business Intelligence, se fundamenta no fato de que trabalham com a geração de informações por meio dos dados.

São diferentes e complementares no desenvolvimento e utilização de estratégias para melhorar a gestão de pessoas. O uso em conjunto, favorece ainda mais o RH no aprimoramento dos processos do departamento.

O Big Data coleta toda e qualquer informação, independentemente da relevância dos dados. Já o Business Intelligence filtra melhor os dados, separando de acordo com a relevância e com o que pode ser aproveitado.

O People Analytics arremata com a análise criteriosa desses os dados, para transformar em informações consistentes, para uso geral, direcionado a uma área, a um grupo específico ou no tratamento individual de cada colaborador.

Com uma gestão sistematizada das informações, a organização passará a atuar em um ritmo mais acelerado, com respostas ágeis e ações mais acertadas — passos importantes na rotina de quem deseja manter a autoridade e a boa imagem no mercado.

A vantagem de atuar com esses três recursos é ter elementos significativos em curto e médio tempo para avaliar o desempenho organizacional e tomar providências imediatas, antes que se tornem um problema irreversível.

Quais são os benefícios do People Analytics e como colocar o método em prática?

Entre os principais benefícios da utilização do People Analytics pela equipe de RH para atuar estrategicamente ao lado de gestores e áreas, podemos destacar:

O People Analytics é uma tendência para o RH que ao ser aplicado em diversos contextos da gestão, considerando os dados estatísticos e as percepções dos profissionais especializados em pessoas, é capaz de aumentar a eficiência da organização.

Para colocar o método em prática e garantir os resultados esperados, considere alguns fatores importantes:

  • o profissional responsável pelo direcionamento deve ter uma capacidade de análise em nível sênior com foco na conexão entre negócios e pessoas;
  • a clareza entre a liderança e os liderados é essencial para que os níveis sejam concluídos com êxito;
  • o filtro deve priorizar os dados mais relevantes e confiáveis para que a análise qualitativa seja mais expressiva que a quantitativa;
  • o planejamento é fundamental para mapeamento das análises;
  • o diagnóstico deve ser transformado em ações e direcionamentos aplicados em curto, médio e longo prazo, de acordo com as necessidades e projeções da organização.

O GPTW é uma autoridade no que diz respeito ao diagnóstico organizacional voltado às pessoas e, por isso, um parceiro importante na implementação do People Analytics em qualquer tipo de organização em busca da vantagem competitiva.

Se você gostou do que viu até aqui e deseja utilizar o método para compreender o desempenho dos seus colaboradores, que tal entrar agora mesmo no site do GPTW e conhecer melhor o que fazemos!

Deixe seu Comentário

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se