Por: GPTW

Por: GPTW

24 março, 2020 • 5:46

Estabelecer a cultura da empresa e mantê-la é um dos grandes desafios para empreendedores e gestores de uma organização. Quanto mais fortalecida, mais fácil será para conduzir os funcionários a práticas que vão ao encontro dos objetivos do negócio.

A cultura da empresa é um bem precioso, pois dela, nascem valores que serão praticados e defendidos dentro e fora da organização, por seus dirigentes e funcionários, em diversas fases do negócio.

Criar uma cultura, disseminá-la e mantê-la é uma missão que deve ser abraçada com responsabilidade para que as boas práticas culturais inspirem os funcionários e, principalmente, falem sempre a verdade.

Neste artigo vamos falar sobre a importância e os benefícios de fortalecer a cultura da empresa e promover boas práticas, considerando a diversidade e o alinhamento com a comunicação interna. Boa leitura!

O que é cultura organizacional

Podemos entender o termo como o conjunto de ideias e hábitos que as pessoas compartilham no dia a dia de uma empresa, agregando valores éticos e morais às normas e regras estabelecidas internamente.

Partindo do princípio de que a cultura em si, se forma através das crenças, conhecimentos e costumes de um povo, a cultura organizacional reúne esses elementos, mas por uma ótica voltada para o contexto corporativo.

A cultura organizacional tem uma grande responsabilidade em motivar os funcionários e estimular seu crescimento à medida em que a empresa também se desenvolve. Os bons resultados de uma cultura fortalecida podem ser percebidos em um ambiente de trabalho com clima agradável e que proporciona o aumento da produtividade.

Em uma empresa, empreendedores e gestores, vivem diariamente em um cenário de decisões. Elas são essenciais para conduzir o negócio, definir estratégias e direcionar as ações conforme as exigências do mercado.

Para fazer com que os funcionários se engajem e contribuam para que essas ações sejam efetivas e bem-sucedidas, eles devem compactuar com os princípios que a empresa defende, como algo em que também acreditam.

Os profissionais tendem a se comprometer e produzir mais quando se identificam com a visão e as ideias dos gestores, além das políticas implementadas, por isso, a cultura organizacional pode ser um fator motivacional de impacto positivo ou negativo, dependendo de como a empresa se movimenta no dia a dia.

Quando bem sintonizada internamente, a cultura tem forte atuação na alavancagem dos negócios, refletindo também em outro aspecto importante — o aumento da visibilidade do employer branding ou marca empregadora.

Uma marca que estimula as boas práticas, preza pela ética, defende a diversidade, os cuidados com o meio ambiente e valoriza seus funcionários, além de reter os bons profissionais já empregados, será alvo de talentos em busca de uma boa empresa para trabalhar.

Como definir a cultura da empresa

Antes de tudo é preciso definir o tipo de cultura que a empresa pretende implantar e desenvolver em seu negócio. Essa definição tem a ver com a forma como a empresa deseja ser vista no mercado. Novamente, percebemos a importância de atrelar a cultura à visão de marca empregadora.

Ao definir a missão, a visão e os valores que a empresa deseja seguir, começa a se formar ali, a ideia da cultura organizacional, pois para saber onde e como chegar, a empresa precisa definir os meios adotados para atingir o objetivo – e eles esbarram nas crenças e hábitos diários.

Assim, todas as pessoas que trabalham dentro da empresa saberão ao certo o que ela quer e como deseja que seja realizado, compreendendo o seu papel e se estão de acordo com essa cultura.

Pode ser que muitos profissionais não se identifiquem e deixem de atuar na empresa, enquanto outros se sentirão ainda mais engajados e motivados a dar o seu melhor, visualizando oportunidades.

Como manter a cultura da empresa

Quando a empresa começa a crescer é normal passar por transformações em alguns processos e comportamentos. A cultura instaurada antes, pode sofrer alterações, mas deve manter a sua essência para conservar o que foi conquistado até ali.

Mesmo que o mercado determine as regras e obrigue a empresa a mudar de planos e estratégias, as atividades, processos e comportamentos precisam continuar orientados pelos valores defendidos em sua cultura.

Para não perder eficiência e até mesmo a identidade, o ideal é que a empresa mantenha sua cultura e sua estratégia de negócio, até mesmo nos momentos em que o mercado exige mudanças.

Cultura é a maneira que as pessoas irão realizar suas tarefas na organização e como vão atuar ao realizar seu trabalho. Já a estratégia é o que será feito para alcançar os resultados necessários.

A cultura nasce com o negócio e se fortalece com a chegada das pessoas que se dispõem a contribuir para o seu crescimento. Conquistar a satisfação do cliente interno já é um passo diferenciado para encantar o público externo e gerar cada vez mais negócios.

Não existe um modelo padrão de cultura organizacional ou uma definição exata para uma empresa. Pode ser que haja similaridades em função do segmento e atuação no mercado e que a empresa desenvolva a sua cultura sustentada por muitas ideias já existentes.

O que fazer para fortalecer a cultura da empresa

O fortalecimento cultural vem das práticas diárias e das metas alcançadas ou que ainda estão em andamento. Para isso é fundamental pensar em como a cultura se fundamenta — divulgação e propagação dos valores e a adesão de todos os funcionários da empresa.

Na metodologia GPTW existem 9 práticas que são pilares da cultura organizacional e ajudam a empresa a fortalecer seus critérios de existência. Em cada uma delas é possível desenvolver as diretrizes que formam as políticas de cultura da empresa. São elas:

  • inspirar;
  • falar;
  • escutar;
  • desenvolver;
  • cuidar;
  • agradecer;
  • contratar;
  • celebrar;
  • compartilhar.

Vamos tomar a prática “inspirar” como um exemplo do que a empresa pode fazer para fortalecer a cultura organizacional, ter funcionários engajados, em alinhamento com a missão, a visão e os valores, e assim, obter bons resultados almejados.

Inspirar é algo subjetivo, mas dentro de uma empresa tem a ver com a descoberta de cada funcionário sobre o significado do seu trabalho, ou seja, o que ele faz, como faz e porque está ali para executar aquela atividade.

Algumas ações podem estimular essa descoberta e incentivar o funcionário a se dedicar mais à empresa. Perceba que são ações simples, mas que geram grande impacto e produzem um sentimento de pertencimento nos funcionários.

Confira ações que podem ser tomadas para incentivar o fortalecimento da cultura organizacional.

Criar projetos comunitários

A responsabilidade social é um dos assuntos mais discutidos da atualidade e muitas empresas abraçam causas no intuito de ajudar a sanar os problemas e necessidades de uma ou mais comunidades.

Ao criar um projeto comunitário a empresa tem a oportunidade de demonstrar solidariedade, ir além do desejo de apenas obter lucros e envolver os funcionários em ações de valor significativo dentro do contexto social.

A rede de restaurantes de fast food McDonald’s é um exemplo de que é possível ter funcionários motivados a oferecer a melhor experiência aos clientes, participando voluntariamente de ações comunitárias em comunidades próximas.

O projeto social intitulado Gincana Bom Vizinho, realizou no Brasil em 2017, mais de oito mil ações solidárias. Com a participação de 12 mil funcionários, a empresa conseguiu arrecadar agasalhos, livros, objetos e diversos quilos de alimentos não perecíveis, que foram doados a famílias carentes.

Além disso, os funcionários plantaram 800 mudas em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Curitiba e Salvador, além de realizar cerca de 2 mil visitas em instituições que precisam de apoio.

São práticas como essas que unem os funcionários de uma empresa e tornam o ambiente mais agradável. O clima é positivo e há um propósito muito maior do que apenas receber o salário no final do mês.

Sua empresa não precisa realizar um número tão grande de ações se não tiver a mesmo disposição que a da McDonald’s, mas cada pequena ação contribui para atender a uma sociedade que precisa de suporte para se manter em equilíbrio.

Investir em treinamentos internos

Se a empresa deseja que os funcionários executem o trabalho de uma determinada maneira, deve treiná-los. Essa é uma prática que além de alinhar as atividades, motiva os funcionários que se sentem valorizados dentro da empresa.

O treinamento serve para adequar atividades, linguagens e comportamentos, desenvolver habilidades e competências, além de demonstrar a preocupação da empresa em fornecer condições adequadas de trabalho a seus funcionários.

Funcionários bem treinados terão vasto conhecimento sobre os produtos ou serviços da empresa, o que reflete no atendimento e na satisfação do cliente — é uma forma de dizer ao profissional o quanto ele é importante e, por isso, a empresa investe em sua qualificação.

Esse é um investimento que traz retornos em médio e longo prazo, seja o aumento da produtividade ou do volume de vendas. A consequência de treinar funcionários é gerar satisfação em diversos aspectos e fortalecer a cultura da empresa.  

Incentivar o depoimento de funcionários

Quando funcionários depõem a favor da empresa é porque estão, verdadeiramente, em sintonia com a cultura organizacional, sentem orgulho em pertencer àquele lugar e fazem questão de dizer isso para um público maior.

O depoimento, mesmo que ensaiado ou editado, mostra através da fala e dos gestos o sentimento que o funcionário tem de fazer parte da história de sucesso da organização. É sinal de que ele se sente confortável diante da conduta e comportamento da empresa.

O reconhecimento profissional faz com que o funcionário tenha uma visão positiva sobre a empresa e se disponha a compartilhar suas experiências e percepções com o público externo — normalmente são direcionados a dizer como a empresa atua, mas complementados com elogios às lideranças e colegas.

Ter funcionários que falam bem da empresa, melhora a reputação e a imagem no mercado, evoluindo a marca empregadora e aumentando o potencial de negócios. Em contrapartida, preservar o bom clima e a satisfação interna, mantém o bom conceito dos funcionários.

A importância da diversidade na cultura da empresa

Falar em diversidade é mexer em uma ferida aberta há muitos anos, considerando o histórico de preconceito e exclusão social de tudo e todos que são “diferentes”. O tema é pauta de discussões acirradas e muitas empresas resolveram aderir ao movimento e defender a igualdade.

Por isso, a empresa que entende a importância das pessoas, independentemente, da sua condição de gênero, orientação sexual, raça e deficiência, sai à frente mostrando que deve mirar e contratar os profissionais talentosos com base, exclusiva, em suas competências.  

Ser conhecida como uma empresa que reúne diversos tipos de profissionais e que com eles alcança grandes resultados, faz com que aqueles que estão de fora percebam os valores organizacionais e sintam o desejo de estar dentro.

Sejam mulheres, negros, PCDs ou membros da comunidade LGBT, o importante é focar nas hard skills e soft skills que essas pessoas têm a oferecer e como elas se encaixam na empresa considerando o fit cultural e modo de trabalho.

Em uma empresa que defende a diversidade e estimula a contratação pelo potencial, as diferenças se darão pelo tipo de trabalho — se exigem esforços físicos ou acessos restritos — que podem comprometer o desempenho de mulheres e PDCs.

Fora isso, qualquer um estará apto a exercer uma atividade desde que preencha os requisitos da vaga e estejam dispostos a crescer junto com a empresa. A inclusão deve fazer parte da cultura de uma empresa que deseja se destacar no mercado.

Afinal, a diversidade, embora ainda cause desconforto entre os mais conservadores, está cada vez mais comum em empresas que acompanham a evolução da gestão de pessoas e incentivam a humanização e diversificação nas relações de trabalho. 

Por falar em relacionamento, em empresas com a cultura da diversidade bem fortalecida, os próprios funcionários são os responsáveis por receber colegas tratados fora como diferentes, de uma maneira natural e destituída de preconceito.

Mas, não basta apenas dizer que se pratica a diversidade dentro da empresa. É preciso entender profundamente o contexto e o cenário de pessoas que são segregadas por motivos que não tenham a ver com sua capacidade técnica.

Esse entendimento deve envolver os empreendedores, os gestores e a equipe de RH para debater e chegar a um consenso de como a empresa promoverá a diversidade, sem parecer uma tentativa de ganhar pontos por sua atitude.

A promoção de um ambiente agradável e inclusivo deve ser contínua, para que todos os funcionários, sobretudo aqueles que são a própria diversidade, se sintam acolhidos e tratados com igualdade.

Se na empresa há uma política de crescimento e benefícios, todos, sem exceção, devem ter os mesmos direitos. As mulheres, por exemplo, se apresentam os quesitos para um determinado cargo, podem concorrer com colegas homens, para uma vaga interna.

Quando todos na empresa entendem a importância de dar ênfase aos resultados, as equipes tendem a se unir para traçar e alcançar objetivos. Em um ambiente acolhedor, onde haja respeito e empatia, certamente, o desempenho será cada vez maior e os resultados, melhores.

O alinhamento da cultura organizacional com a comunicação interna

A comunicação interna é importante em qualquer tipo de negócio para alinhar todas as atividades, mas tem um papel ainda mais forte na disseminação da cultura da empresa, transmitindo claramente o que se espera dos seus funcionários.

O relacionamento saudável dentro de uma empresa só existe quando as pessoas se comunicam com objetividade e foco nos projetos e resultados dos mesmos. É fundamental utilizar um canal oficial para transmitir e alinhar a cultura de forma positiva.

Eliminar as informações paralelas e as conversas de bastidores ajuda a fazer com que a cultura se instaure por meio de políticas bem delineadas, criadas e desenhadas de acordo com a filosofia e razão de ser do negócio.

A divulgação das estratégias, ações ou qualquer tipo de procedimento, devem seguir um padrão de comunicação, que rapidamente seja absorvido pelas equipes, sem deixar dúvidas ou margem para erros que possam gerar prejuízos ou retrabalho.

Benefícios de promover o fortalecimento da cultura da empresa

Promover o fortalecimento da cultura só pode agregar benefícios, uma vez que a empresa torna seus objetivos mais claros e alinhados com as expectativas dos funcionários e do próprio negócio.

Sentimentos de motivação, engajamento, compromisso e satisfação, são algumas das vantagens de criar e desenvolver na empresa uma cultura pautada em valores éticos e morais bem definidos.

O crescimento de uma empresa que ofereça produtos ou serviços de qualidade, alinhado à excelência no atendimento, só pode ganhar mais vigor com a atuação de funcionários que entendem os propósitos da empresa, se identificam com eles e passam a defender sua marca.

A construção da identidade organizacional e transformação em uma marca empregadora, tem forte interferência da cultura organizacional, por isso, quanto mais bem aplicada, melhores serão os resultados da empresa.

A redução de custos, o atendimento ao cliente, a gestão e liderança, o relacionamento — tudo isso melhora quando a cultura é fortalecida dentro de uma perspectiva de crescimento empresarial para alcançar visibilidade e vantagem competitiva.

Os pontos mais elevados de benefícios têm a ver, principalmente, com a anuência dos funcionários. Quando o grupo inteiro compreende a cultura e passa a se comportar sob os seus preceitos é possível notar a evolução e mudança da empresa. Veja!

Melhoria do clima organizacional

Desde o início falamos sobre o clima organizacional e como ele se torna melhor quando a cultura da empresa é bem difundida. Deixar os funcionários cientes dos motivos para executar um trabalho é uma forma de dizer o quanto eles são importantes e que a empresa conta com o seu talento.

Isso faz com que cada funcionário se sinta valorizado, passando a se relacionar e se comunicar melhor com seus gestores, colegas e subordinados. O ambiente colaborativo e promissor, fortalece o ritmo de trabalho em prol de algo maior.

Funcionários mais engajados

Um bom clima é sinal de que as equipes estão engajadas e dispostas a encarar os desafios e encontrar soluções em caso de dificuldades. Os funcionários passam a ter um comportamento de dono, defendendo as ideias e projetos da empresa com propriedade e autonomia.

Retenção de talentos

Para uma cultura pautada em melhorias, valorização profissional e boas práticas sempre haverá profissionais talentosos dispostos a desempenhar cada vez mais, um bom trabalho e mostrar seu valor.

Ao oferecer mais do que um trabalho de rotina, a tendência é que os profissionais desistam das ideias de procurar novas oportunidades e decidam aplicar seu conhecimento ali mesmo, dentro da empresa.

A ideia de crescimento e desenvolvimento na carreira surge como uma promessa e também um desafio. Muitos funcionários, quando percebem um movimento positivo da empresa nesse sentido, demonstram maior motivação para o trabalho.

Contratação efetiva

Realizar boas contratações será sempre um processo desafiador para recrutadores, mas se a empresa souber divulgar sua cultura e políticas de forma diferenciada em suas oportunidades de trabalho, certamente atrairá candidatos com perfis bem ajustados.

Aqueles que se identificam já na divulgação da vaga têm mais chances de adaptação quando chegarem à empresa. Eles entram motivados a somar e contribuir para a manutenção dos valores e ideais que viram destacados no anúncio, facilitando, inclusive, o processo de onboarding.

Produtividade alta

Se um funcionário gosta da empresa e se sente confortável no ambiente de trabalho, irá dedicar mais tempo e empenho a ela. A determinação de acordar cedo e ir para o trabalho não será um sacrifício e logo se notará aumento da produtividade.

Ter a liberdade de participar, dar sugestões e ideias é, exatamente, o que um profissional capacitado deseja em seu dia a dia. Ele contribui com maior segurança e busca sempre as melhores e mais viáveis alternativas para a empresa.

Alinhamento entre as equipes

Com uma cultura fortalecida, também se fortalece e alinha a comunicação e as atividades entre as equipes. O ambiente favorável à troca de informações e ideias possibilita um trabalho coletivo de qualidade.

Há uma comunicação diferenciada em empresas que primam pela homogeneidade organizacional, fazendo valer a cultura de valores éticos e morais que permitem caminhar de forma objetiva com os conceitos de missão e visão, pré-definidos.

Marca empregadora

Deixamos por último um dos benefícios mais importantes para a empresa que deseja se destacar e ver sua cultura ser considerada um diferencial competitivo. Quando falamos de marca empregadora, não nos referimos apenas à atração e retenção de talentos, mas também à imagem que a empresa apresenta.

Sendo empregadora, tanto os profissionais de talentos, quanto os clientes e parceiros, que desejam de alguma forma fazer negócios, a empresa pode ter ganhos significativos em todos os âmbitos.

Quem valoriza seus funcionários passa a imagem de que tem a intenção genuína de lapidar as equipes, oferecer incentivos e capacitação para que sejam multiplicadores e defensores da marca, única e exclusivamente, por sentirem que estão no caminho certo.

Se você gostou deste post e deseja saber mais sobre a transformação da cultura organizacional e o papel do RH nesse processo, baixe gratuitamente o e-book Culture Audit e aprenda como fazer uma autorreflexão sobre diversos aspectos da sua rotina de trabalho.

Deixe seu Comentário

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se