Por: Caroline Maffezzolli

Diretora de Marketing Digital e Vendas na GPTW

Por: Caroline Maffezzolli

Diretora de Marketing Digital e Vendas na GPTW

5 agosto, 2022 • 11:46

Usar o modelo talent acquisition pode ser determinante no futuro de qualquer empresa, seja ela grande, média ou pequena. Sabemos que atrair profissionais alinhados, contratar e despertar seu desejo de permanência é um grande desafio.

Com o objetivo de colocar os talentos certos nas funções certas, o conceito vem ganhando consistência nos últimos tempos. Ainda mais depois das alterações na forma de trabalho, que exigem das empresas uma mudança de mindset.

Neste post, você vai saber o que é talent acquisition e toda a sua importância para as empresas. Continue lendo e veja a diferença para o recrutamento, como aplicar o conceito e quais os benefícios de colocar em prática!

O que é talent acquisition?

Um processo estratégico e analítico para encontrar talentos qualificados e prontos a ocupar cargos imediatos na empresa. Esse é um resumo do modelo de contratação talent acquisition ou aquisição de talentos.

O processo envolve planejamento, com levantamento das necessidades das áreas e do perfil profissional necessário. Com base nos dados e informações, o recrutamento acontece com um foco mais direcionado e, por vezes, pontual.

De modo geral, a missão do talent acquisition é resolver problemas internos com a falta de mão de obra capacitada. Em muitos casos a empresa perde eficiência pela falta de profissionais que estejam aptos a executar determinadas atividades.

Para ter resultados mais rápidos e efetivos, o RH se utiliza das técnicas desse modelo para encontrar profissionais mais adequados. A ideia é que, assim que contratado, o novo colaborador já comece a produzir e gerar melhores resultados.

Qual a importância para as empresas?

O talent acquisition não visa só preencher uma vaga na empresa, mas que ela seja ocupada por um profissional capacitado. Em outras palavras, um talento com as competências e habilidades exigidas para o cargo.

Nesse sentido, as vagas são identificadas e o processo é planejado com base no levantamento feito sobre as necessidades do setor e da empresa. Com isso, o recrutamento é realizado somente com candidatos que preencham os requisitos necessários.

Com esse modelo, a tendência é aumentar as chances de êxito na aquisição dos talentos de performance ajustada. A equipe recrutadora, quando ciente do que a empresa e o setor precisam, consegue avaliar perfis com um nível maior de precisão.

Da operação à gestão, cada cargo e função demandam qualificações e características próprias, com processos distintos. O tipo de conhecimento, habilidade e competência influenciam o fluxo de trabalho e, consequentemente, os resultados.

Um diferencial do talent acquisition é que ele mira nos profissionais que estão em destaque no mercado, criando estratégias para atrair esses talentos. As posições específicas permitem a construção de um processo de abordagem mais elaborada, para gerar atração e interesse.

Qual a diferença entre talent acquisition e recrutamento?

Enquanto um recrutamento simples tem a missão de recrutar e contratar pessoas, o talent acquisition vai mais além, em busca de perfis específicos. Assim, o recrutamento comum seleciona diversos currículos para triagem, filtro de candidatos e andamento do processo.

Enquanto isso, o talent acquisition faz uma busca mais apurada, não só por candidatos, mas por talentos do mercado. Nesse caso, os currículos são selecionados criteriosamente, para que o processo seja realizado somente com quem apresentar as qualificações procuradas.

Outra diferença é que o processo de recrutamento e seleção tradicional acontece em função de vagas em aberto. O talent acquisition, por sua vez, pode ocorrer depois de identificada alguma lacuna que só pode ser preenchida por profissional qualificado.

Pode ser que o momento da empresa apresente uma necessidade que nenhum colaborador ativo consegue suprir, o que justifica a busca no mercado. No entanto, há todo um planejamento para que essa mão de obra continue sendo aproveitada no futuro.

Embora as perspectivas sejam para atender uma demanda mais urgente e pontual, o talent acquisition também visualiza os resultados a longo prazo. No recrutamento tradicional, o processo pode ser mais lento, para perfis com qualificações mais genéricas e menos especializadas.

Como aplicar o talent acquisition na empresa?

Tudo o que o talent acquisition faz é mapear as necessidades e particularidades dos cargos, detalhando os aspectos a observar nos candidatos. Feito isso, é hora de explorar o mercado para garimpar os talentos que mais se aproximem do perfil desejado.

O método abrange diversos contextos que envolvem os setores, as lideranças, os colaboradores e os resultados da empresa. No planejamento estratégico de aquisição, a equipe coleta informações para análise, identificando as carências e deficiências do departamento em questão.

São feitas avaliações, junto com a liderança, para entender os gargalos da operação e o quanto precisa da mão de obra especializada. As ações que se seguem dependem desse mapeamento para nortear a busca pelo melhor talento.

Para um planejamento consistente, o time de RH considera elementos importantes como a cultura organizacional, o tipo de profissional desejado, as demandas atuais e futuras, além das hard skills e soft skills — fatores decisivos na composição das vagas alinhadas aos perfis.

Dentro do perfil profissional, existe ainda um desdobramento de características, requisitos e qualificações vinculados individualmente a cada cargo. Assim, o profissional terá a responsabilidade de desenhar o processo com base em informações, como:

  • perfil de liderança;
  • senso colaborativo;
  • comunicação fluída;
  • formação específica;
  • trabalho sob pressão;
  • conhecimento técnico;
  • capacidade de empatia;
  • capacidade de oratória;
  • relacionamento interpessoal;
  • organização e planejamento;
  • habilidade tecnológica – softwares e aplicações;

O próximo passo será de captação e triagem dos candidatos, o que pode ser realizado com a ajuda de plataformas e headhunters. É importante conhecer os caminhos para chegar a esses profissionais mais rápido, pois, certamente, eles não estão totalmente disponíveis no mercado.

Na etapa seguinte, os candidatos selecionados são contatados e convidados a participar do processo, com entrevistas, avaliações e testes. Com uma análise minuciosa, será possível peneirar até que o melhor profissional fique em evidência.

Por fim, o processo de talent acquisition deságua na contratação do talento, o que envolve as burocracias. A essa altura, já se sabe que se trata do profissional, do alinhamento com a cultura organizacional às competências e habilidades.

Quais são os benefícios desse modelo de contratação para o RH?

Realizado de forma adequada, o talent acquisition é o modelo mais apropriado para esse cenário de urgência. Isso sem contar as vantagens que ele traz para o RH e para a empresa em âmbito geral. Confira alguns benefícios!

Redução do turnover

A rotatividade de colaboradores é um grande problema na maioria das empresas, sobretudo pela quebra de ritmo na rotina. Nesse cenário, quando a equipe começa a apresentar resultados, a perda de um talento pode desacelerar a produtividade e comprometer a entrega.

Com a assertividade do talent acquisition, a probabilidade de contratação de profissionais que se adaptarão à cultura é maior. Ao estabelecer esse vínculo e encontrar bons motivos para permanecer, dificilmente o talento voltará seus olhos à concorrência para visar outra oportunidade.

Fortalecimento do employer branding

Ser uma referência de marca empregadora é um diferencial que faz com que os melhores talentos queiram trabalhar na organização. Esse é um modelo conhecido por lapidar o perfil desejado ao construir um planejamento em torno da vaga.

Para ser essa marca forte e de destaque, é preciso investir em um ambiente de trabalho saudável, políticas atrativas de benefícios, cultura organizacional coerente e plano de carreira — tudo isso torna a empresa um bom lugar para se trabalhar, cobiçados pelos profissionais mais talentosos.

Menor custo com o processo de recrutamento e seleção

Todo processo de seleção envolve custos, uns mais, outros menos, mas o fato é que há gastos — tempo de planejamento, divulgação da vaga, onboarding e treinamentos. Com a aquisição de talentos, o investimento pode ser mais enxuto, eliminando algumas etapas.

Vale lembrar que os profissionais contratados no modelo de talent acquisition são talentos experientes, com uma bagagem maior. Eles chegam prontos à empresa, são mais produtivos, mais fáceis de se adaptar e já desde o início apresentam resultados.

Aumento da diversidade

Com o talent acquisition, a estratégia é encontrar excelentes profissionais para atender à demanda da empresa, o que favorece a diversidade. Essa é uma característica positiva, uma vez que o foco é preencher uma vaga de modo imparcial e amplo.

Nesse contexto, a equipe de RH não se apega a critérios e requisitos pré-definidos, mas às habilidades e competências necessárias, o que independe do gênero, raça, orientação sexual, idade e outros aspectos típicos da segregação que pode ocorrer em algumas empresas.

O talent acquisition traz uma nova ótica de contratação dos talentos de alta performance, mostrando que apostar em perfis adequados vale mais do que continuar com os modelos engessados de recrutamento — quanto maior a atenção no que cada profissional pode oferecer à empresa, maiores as chances de êxito na escolha.

Se você gostou deste post, que tal aproveitar para ler mais um conteúdo? Entenda os passos para estruturar o seu processo de recrutamento e seleção!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se