Por: GPTW

Por: GPTW

4 junho, 2021 • 9:59

Quem atua na gestão de pessoas pode colher benefícios práticos ao entender o que é absenteísmo. Esse indicador afeta a produtividade da equipe e permite avaliar se a empresa consegue manter os colaboradores engajados.

Isso ocorre porque ele representa as ausências dos profissionais ao trabalho. Assim, especialmente quando falamos de situações evitáveis, a métrica fornece dados relevantes para melhorar as práticas de conduta.

Ficou curioso? Abaixo, reunimos as principais informações e listamos 5 dicas para melhorar esse indicador de desempenho. Continue!

A importância de medir o absenteísmo 

Ele corresponde às ausências do colaborador, exigindo a realocação da força de trabalho  dentro da empresa. A fórmula mais simples para medir esse indicador é: (horas perdidas ÷ horas de trabalho) x 100.

Dessa forma, as horas incluídas no cálculo podem ser diferenciadas de acordo com o tipo de ausência do colaborador. Você pode, por exemplo, retirar as férias, licenças e faltas justificadas do cálculo.

As duas formas de medir são importantes. Ao avaliar as faltas de forma genérica, temos clareza sobre o impacto na capacidade produtiva, porque mesmo as ausências justificadas ou previstas em lei causam esse prejuízo.

Já a inclusão apenas de ausências irregulares, esclarece a falta de engajamento. Afinal de contas, estamos falando de faltas voluntárias ao trabalho.

Os impactos negativos do absenteísmo

Se esse indicador estiver elevado, traz consequências negativas para a empresa, já que tem uma relação inversamente proporcional à capacidade produtiva máxima da equipe. Quanto maior o absenteísmo, menor é a quantidade de serviços que o time consegue entregar ao longo do mês.

Outra consequência, é que alguns colaboradores terão de cobrir a lacuna deixada por outros, o que pode sobrecarregá-los e gerar horas extras. Assim, além da insatisfação, os profissionais se sentirão desmotivados, gerando ainda mais as ausências.

Por isso, todos esses resultados têm impacto sobre o custo-benefício e nas despesas da organização. Além disso, junto ao turnover, o absenteísmo é um dos indicadores de desempenho mais perseguidos pelos profissionais de RH.

As principais causas

Entre as causas do absenteísmo, boa parte pode ser trabalhada com práticas de gestão de pessoas. Quando excluímos os verdadeiros imprevistos, quatro deles são bastante recorrentes: 

Falta de motivação do colaborador

Se os colaboradores estão desmotivados, a tendência é que exista certa indiferença com a pontualidade e disciplina na organização. Essa falta de disposição pode ter diversas fontes:

  • problemas pessoais;
  • relação ruim com o líder ou com os colegas;
  • falta de significado no trabalho;
  • ausência de perspectiva de crescimento;
  • questões de saúde.

Geralmente, motivação e engajamento caminham juntos. A falta de vontade para trabalhar, reflete no comprometimento com os objetivos e metas. 

Gaps de competência

A pontualidade e a disciplina são soft skills, bastante ligadas à capacidade de gerir o tempo e ter organização. Consequentemente, parte dos colaboradores pode ter dificuldades em cumprir as jornadas propostas, elevando as ausências ao trabalho.

Clima organizacional

Outro fator decisivo é o sentimento dos colaboradores sobre trabalhar na empresa. O clima organizacional oferece grande margem para melhorias, pois está relacionado às experiências no ambiente de trabalho que podem ser diversas.

Nesse sentido, o contexto é fundamental. Trabalhar em lugares que as pessoas são tratadas de forma justa reduzem o absenteísmo, pois tem confiança entre líder e liderado, os colegas se ajudam e a empresa reconhece o trabalho prestado. 

Cultura da empresa

O absenteísmo também pode ser causado por comportamentos de indisciplina tolerados. Ou seja, o que deveria ser excepcional se torna uma norma, e todos os colaboradores são negativamente influenciados a adotar as mesmas atitudes.

As 5 formas de reduzir o absenteísmo

Agora que já entendemos o significado e quais são as causas, podemos aplicar medidas corretivas para melhorar esse indicador. Como é sempre importante ter prioridades, listamos as 5 ações com maior impacto.

1. Aplique avaliações de desempenho

Em primeiro lugar, devemos compreender quais são os colaboradores, equipes e setores que mais afetam esse índice. Para isso, inclua questões sobre pontualidade, presença dos colaboradores nos questionários de avaliação de desempenho ou utilize os registros de ponto da empresa para levantar informações.

2. Faça a pesquisa de clima organizacional

O passo seguinte é coletar dados, ouvindo os colaboradores sobre como é trabalhar na empresa. A pesquisa de clima organizacional é bastante ampla e oferece uma percepção completa do ambiente de trabalho, por exemplo:

  • bem-estar;
  • employee experience;
  • satisfação com benefícios;
  • relação com líderes e colegas;
  • perspectiva de crescimento.

Com os resultados da pesquisa de clima, você saberá quais são os pontos de melhoria. Além disso, pode correlacionar os dados e os resultados da avaliação de desempenho, verificando se os departamentos em que há maior absenteísmo, são também os de pessoas mais insatisfeitas com as práticas da empresa.

3. Defina metas de melhoria

A melhoria dessa prática é uma via de mão dupla. De um lado, o colaborador precisa ser informado sobre o desempenho insatisfatório e ter orientações para melhorar. De outro, a empresa deve atuar nos pontos fracos do ambiente de trabalho.

As metas para o colaborador podem ser elaboradas com a metodologia OKR, conectando  a presença ao trabalho como resultado-chave para um objetivo do trimestre. Já as medidas empresariais podem se basear no benchmarking, se inspirando em organizações que foram bem-sucedidas em desafios semelhantes. 

4. Melhore as práticas culturais

Outra medida importante é adotar processos que contribuam com a melhoria do clima organizacional, motivação e engajamento dos colaboradores. Aqui  no GPTW, por exemplo, sugerimos 9 práticas culturais como forma de construir um excelente lugar para trabalhar:

  • inspirar — envolvimento das pessoas pela missão, visão, valores e metas das empresa, dando significado às suas tarefas;
  • falar — compartilhamento de informações com clareza, linguagem adequada e transparência;
  • escutar — colaboradores ouvidos e com sugestões realmente consideradas;
  • agradecer — reconhecimento do trabalho de forma justa e imparcial;
  • desenvolver — contribuição para o crescimento do profissional;
  • cuidar — foco no bem-estar físico e mental, bem como nas necessidades dos colaboradores;
  • contratar e receber — identificação de talentos adequados aos valores da empresa e integração deles aos time ;
  • celebrar — valorização das conquistas com toda a equipe, inclusive, com rituais internos;
  • compartilhar — parceria entre colaborador e empresa, trocando ideias, esforços e informações sobre desempenho.

5. Invista em treinamentos 

A presença dos colaboradores pode ser melhorada com treinamentos. Isso ocorre não só com programas voltados para produtividade, disciplina e organização, mas por qualificações para aumentar o engajamento dos colaboradores.

Ademais, é importante avaliar a formação de líderes. Muitas vezes, a empresa conta com profissionais que dominam a parte técnica, mas dependem exclusivamente do poder hierárquico para comandar as equipes. 

Assim,  mesmo quem já é líder pode alcançar estágios mais avançados, como deixar de apenas influenciar pessoas para ajudar no crescimento profissional delas.

Dica extra: Invista na jornada da certificação

Uma boa iniciativa é iniciar um processo de transformação da empresa, em que a organização priorize as melhorias no ambiente de trabalho. Isso porque, ao ter problemas com absenteísmo, provavelmente também existem outras dificuldades, como turnover, falta de engajamento e saída de talentos.

A jornada da certificação do GPTW é um caminho lógico para o desenvolvimento organizacional. Nele, a empresa realiza a pesquisa de clima, entendendo quais são os pontos de melhoria em relação ao benchmarking das melhores organizações. 

Além disso, você pode acessar o nosso banco de conhecimento com as melhores práticas de gestão de pessoas. 

Com isso, atingimos as causas e melhoramos de forma integrada a um processo mais amplo de transformação. No final, as melhorias são reconhecidas com o selo GPTW, demonstrando que você alcançou o nível das melhores empresas para trabalhar.

Quer saber mais? Conheça agora mesmo as soluções do GPTW e coloque em prática as dicas de gestão pessoas deste conteúdo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdos Relacionados

Assine a newsletter do GPTW

e fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se